A Via Crucis no Hospital Socorrão de São Luís no dia de Corpus Christi

O relato abaixo publicado por Valquiria  Santana no Facebook mostra o horror da saúde publica do Maranhão. “O que vimos por lá foi uma situação de humilhações, descaso, desrespeito e, sem nenhum exagero, um cenário parecido com aqueles postos de atendimento de locais de guerra: pessoas doentes jogadas sobre macas ou em cadeiras à espera interminável, diz Vaquíria revoltada com o descaso.

Acompanhe o relato abaixo.

Basta uma parte da tarde e parte da noite no Hospital Socorrão I (Centro) para vermos um pouco do caos em que se encontra a saúde pública em São Luís, refletindo também o que acontece no interior do estado (muitos pacientes são encaminhados pelas prefeituras porque nos municípios também está um caos).

O problema no Socorrão I já começa já na recepção, onde para ser atendida a pessoa precisa chegar em situação de “quase-morte”. E o quem vem depois é ainda mais desesperador: corredores lotados de pacientes em macas e cadeiras, colocadas de um lado e do outro dos corredores, dificultando a passagem de pessoas. Pessoas em macas até na recepção. E pacientes graves: entubados, feridos a tiro ou a facada, tendo convulsões ali mesmo, bem na frente de todo mundo.

No posto de medicação, o problema continua: apenas uma funcionária atendia à demanda de pacientes encaminhados para a medicação. Passadas duas horas é que foram colocados mais dois funcionários para reforçar o atendimento no local. Faltam funcionários no Socorrão I?

Se houver necessidade de exames, o usuário do serviço precisa esperar por mais de seis horas para fazer, por exemplo, uma ultrasonografia. É que os médicos que fazem esse tipo de exame só chegam para o trabalho por volta das 22h. O paciente que espere! e pacientemente com sua dor.

Nessa via crucis de mais de 6h no Socorrão I, acompanhando uma pessoa que precisava de atendimento de emergência, observei que o SER HUMANO nada significa para nossos gestores públicos – municipais e estaduais. O que vimos por lá foi uma situação de humilhações, descaso, desrespeito e, sem nenhum exagero, um cenário parecido com aqueles postos de atendimento de locais de guerra: pessoas doentes jogadas sobre macas ou em cadeiras à espera interminável.

Humilhação sim; pessoas mendigando, pedindo pelo amor de Deus por atendimento médico.
É isso que nossos gestores- aqueles que elegemos pelo voto – têm a oferecer à população?

Essa situação casa uma revolta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Respostas para A Via Crucis no Hospital Socorrão de São Luís no dia de Corpus Christi

  1. Claudia freitas disse:

    Estava ontem tbm por volta das 7da noite,acabei de relatar tbm no meu face!!! Presenciei enfermeiras chegando na troca de plantão ,e nao podiam assumir seus postos,por falta de roupas adequadas do socorrao,que tinham acabado de sair p lavar!!!Falta de administração,fora o resto, que essa pessoa aí relatou q também presenciei exatamente como foi relatado;cheguei a ver um senhor que estava no soro no corredor ,fazendo xixi ali no meio de todo mundo,dentro de uma garrafa pet,cortada ao meio!!! Triste realidade!!pessoas aglomeradas o doa inteiro na porta do centro cirúrgico e nao tinha sala desocupada,nao tinha UTI disponível,ufa…um verdadeiro caos!to chocada até hj!

  2. Claudia freitas disse:

    Presenciei tudo isso que foi relatado,ontem eu tbm estava lá.enfermeiras chegando na troca de plantão e nao tinha roupa adequada p as mesmas assumirem seus postos,pois as roupas tinham acabado de sair p lavar!!Vi tbm,um senhor no corredor to,ando soro,fazendo xixi numa garrafa pet cortada ao meio,na frente de todo mundo! Lamentável e triste,essa é a realidade,infelizmente!!