Altamira do Maranhão: Há três meses, município permanece sem água e sem prefeito

Desde que assumiu o cargo de prefeito em Altamira do Maranhão, Ricardo já recebeu só em repasses do Governo Federal a bolada de R$ 66.367.140,61 (sessenta e seis milhões, trezentos e sessenta e sete mil, cento e quarenta reais e sessenta e um centavos.

Ricardo

Habitantes do município de Altamira do Maranhão, localizado a 327 km de São Luís, iniciaram o ano novo sem água.

De acordo com informações de moradores do local, este é o terceiro mês que a população sofre com o desabastecimento provocado, segundo populares, pela queima de uma bomba que abastecia a cidade.

Segundo populares, a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão  (CAEMA), juntamente com a Prefeitura de Altamira, até hoje não resolveram a situação e até o momento não prestaram nenhum esclarecimento para a população sobre o ocorrido, mesmo a bomba tendo sido levada pela CAEMA para um possível conserto. Foi informado, ainda, que os cidadãos do município estão pagando R$ 40,00 por 100 litros de água, que, segundo fontes bem posicionadas, viria do antigo Hospital São Raimundo, de propriedade do pai do atual prefeito.

Sem o fornecimento de água pela CAEMA, mas com as contas de água batendo nas portas dos altamirenses, a população do município segue sendo desrespeitada e sem o mínimo de dignidade ao básico, além de terem seus direitos de consumidores lesados pela insensibilidade da gestão municipal.

É desumana, repudiante e ultrajante a falta de responsabilidade e compromisso do prefeito de Altamira, Ricardo Miranda (PMDB), na busca por soluções para o problema da falta d’água na cidade, que afeta todos os âmbitos da população, principalmente os menos favorecidos.