Argentina vence a Bósnia por 2 a 1 no Maracanã

O Globo

Messi chuta no canto direito de Begovic. A bola trisca a trave antes de entrar. Foto: Rafael Morais/O Globo

RIO – A festa feita pelos argentinos, nos últimos dias, no Rio, ficou completa dentro de campo. Neste domingo, em um Maracanã ‘abarrotado’ – 74.738 mil pessoas presentes, público superior ao da final da Copa das Confederações, que teve 73.531 – a Argentina venceu a Bósnia por 2 a 1, saindo na frente na luta por uma vaga nas oitavas de final no Grupo F.

FOTOGALERIA: As imagens da vitória argentina no Maracanã

Marcaram para os ‘hermanos’ Kolasinic, contra, aos dois minutos do primeiro tempo, e Messi, em grande jogada, aos 20 da etapa final. A Bósnia descontou aos 39, com Ibisevic. Este foi o primeiro gol da Bósnia em Copas do Mundo, já que a seleção faz sua estreia em Mundiais no Brasil.

Na próxima rodada do Grupo F, a ‘carava’ argentina segue caminho rumo a Belo Horizonte, onde a seleção encara o Irã, no próximo sábado, às 13h, no Mineirão. Já os bósnios enfrentam a Nigéria, no mesmo dia, às 19h, na Arena Pantanal, em Cuiabá.

FESTA NA ARQUIBANCADA E GOL CONTRA

A vibração argentina das arquibancadas deu resultado, em campo, logo aos dois minutos. Messi levantou a bola na área em falta cobrada pela esquerda, a defesa não conseguiu afastar e Kolasinic acabou desviando contra o próprio gol. A bola enganou o goleiro Begovic e morreu nas redes: 1 a 0 para os ‘hermanos’.

Se o gol logo cedo dava a impressão de um jogo aberto, franco, com os dois times atacando, o que se viu nos mais de 40 minutos em diante foi uma partida marcada, com os dois times tendo muita dificuldade para trocar passes no campo de ataque. Aos 13 minutos, Misimovic dá bonito lançamento para Hajrovic. O meia consegue bonito domínio com a canhota, mas Romero ganha a dividida com as mãos.

Nem mesmo a festa na arquibancada inspirava os jogadores dentro de campo. De um lado, os argentinos cantavam suas músicas de incentivo aos jogadores e de ‘provocação’ aos brasileiros. Já os demais brincavam de ‘Olé’ a cada troca de passes da seleção da Bósnia, entoavam o coro de ‘Neymar’ e até a marchinha ‘Domingo, eu vou ao Maracanã’ ganhou a o país europeu como grito final.

Esperança argentina, Messi pouco produziu na primeira etapa. Dí Maria e Agüero também tinham dificuldades para vencer a zaga adversário. No outro lado do campo, Dzeko também não conseguiu criar chances de gol. Aos 40 minutos, em escanteio cobrado pela direita Lulic cabeceou para grande defesa de Romero.

MESSI ACORDA E DEFINE VITÓRIA

Apesar de ter começado ainda de forma lenta, à partir dos 15 minutos o jogo ganhou em velocidade. A Bósnia abriu sua marcação na busca do empate. Em duas tentativas em bolas paradas, uma delas aos 15 minutos, a bola cruzou perigosamente a área argentina, sem ninguém para completar para o gol.

Se grande parte dos 74 mil presente ao Maracanã foi ao ‘maior do mundo’ para ver Messi, o camisa 10 argentino acordou aos 20 minutos, e em grande estilo. Ele recolheu a bola no meio de campo, tabelou com Agüero, recebeu próximo a área adversário, cortou dois marcadores e chutou com estilo, de perna esquerda. A bola ainda bateu na trave de Begovic antes de entrar.

O segundo gol argentino abateu os jogadores da Bósnia. Sem muita criatividade, era raro toques mais lúcidos no campo de ataque. O time insistia em lançamentos longos para Dzeko, sem muito sucesso.

A tranquilidade no placar foi o que faltava para a festa da multidão Argentina ficar completa. Algumas confusões foram vistas na arquibancada, mas sem grandes consequências. A rivalidade levou que os responsáveis pela segurança, designados pela Fifa, retirassem alguns torcedores do local.

Para animar os últimos minutos de jogo, a Bósnia diminuiu. Ibisevic foi lançado às costas da defesa argentina e tocou fraco na saída de Romero. A bola passou entre as pernas do goleiro antes de rolar devagar para o gol. Este foi o primeiro gol da Bósnia em Copas do Mundo. No fim, a Argentina segurou o ímpeto do adversário e saiu com sua primeira vitória no torneio.

Saiba mais

De virada, Suíça bate o Equador com gol no fim e lidera Grupo E

França bate Honduras em partida marcada pelo uso da tecnologia