Bahia vence a Portuguesa por 3 a 0 e volta à Série A

Correio da Bahia

O Bahia venceu a Portuguesa por 3 a 0 na noite de sábado (13) e encerrou um período de sete anos longe da elite do futebol brasileiro: com o resultado, conquistado diante de um Pituaçu lotado, o tricolor já está matematicamente classificado para a Série A 2011, a duas rodadas do final da Segundona.

Claudia Leitte se veste de Mulher Maravilha em homenagem ao Bahia

Equipe entra para a história do clube por ter colocado o time de volta na série A

Os dois gols primeiros foram marcados ainda no primeiro tempo por Adriano, artilheiro que não perdoa em Pituaçu. Já aos 4 minutos, ele recebeu de Jael e deu um toquinho na saída do goleiro da Lusa, abrindo o placar, para o delírio dos tricolores. Aos 25, depois de cobrança de escanteio, ele mandou a sobra para o fundo das redes.

Pressão
Mas os sete anos dramáticos, que incluem uma passagem pela Série C e a fatídica noite do desabamento da arquibancada da Fonte Nova, não se encerraram de maneira tranquila. A Portuguesa, ansiosa para entrar no G4, não facilitou a vida do Bahia e Omar, até pouco tempo o terceiro goleiro do time, ajudou a segurar resultado com grandes defesas, se mostrando um verdadeiro paredão.

Teve direito até a pênalti perdido – o segundo que Jael desperdiçou diante de um estádio lotado de tricolores. Adriano foi derrubado na área aos 3 minutos, Jael cobrou novamente no cantinho direito, como fez contra o Coritiba, e o goleiro Weverton caiu certo, defendendo. Depois, pressão total da Lusa, em busca de um resultado positivo. Teve chute colocado de Dodô, chute de Marco Antônio que passou tirando tinta da trave, cobrança de falta de Paulo Sérgio que exigiu que Omar se esticasse todo…

Herói na vitória, Adriano havia prometido fazer três gols na partida – como aconteceu contra o Náutico e contra o ASA – e esteve perto de conseguir. Aos 40, ele recebeu um passe longo e entrou sozinho na área, mas Weverton se esticou todo e conseguiu dar um tapinha na bola, evitando o terceiro gol tricolor.  O Bahia também chegou perto novamente com Hélder – em bom passe, Jael deixou o jogador na cara do gol, mas ele chutou muito em cima do arqueiro do time adversário, que mandou para fora.

Depois dos 30 minutos, o tricolor passou a conseguir administrar mais a bola, tocando e tentando diminuir a pressão em campo. A torcida empurrava o time com gritos parodiando músicas do Mamonas Assassinas e até da rubro-negra Ivete Sangalo. O hino, claro, também era entoado pelos ansiosos torcedores.

No último minuto de jogo, dois escanteios seguidos, Jael rolou para Alison chutar cruzado e, no rebote, Nen só precisou mandar para dentro, fechando o placar e garantindo a vitória que coloca o Bahia, campeão em 1959 e 1988, novamente na primeira divisão do futebol brasileiro.

Rodadas finais
O Bahia ainda enfrenta o Santo André, em casa, e o Bragantino, fora, nas duas últimas rodadas. O resultado do tricolor também ajudou o Figueirense – como a Portuguesa agora só vai a 62, o time catarinense se classificou e já pode comemorar o acesso à Série A. Com isso, só resta uma vaga, a ser disputada por América-MG, Portuguesa e Sport.

O sonho de ser campeão ainda não se apagou: com seis pontos em jogo, o tricolor pode chegar a 71. Se vencer as duas e o Coritiba não pontuar nas duas últimas rodadas, o título fica com o Bahia.