Bélgica vira e vence a Argélia por 2 a 1 em Belo Horizonte

O Estado de São Paulo

Bélgica

Dries Mertens acerta o ângulo do goleiro Mbohli e garante a virada da Bélgica contra Argélia no Mineirão

A Bélgica só mostrou que pode ser a surpresa da Copa do Mundo na última meia hora de jogo. Em todo o resto da partida, ela foi uma seleção lenta e medíocre. Mas quando encontrou seu jogo de velocidade e de toque de bola matou a Argélia e venceu, de virada, por 2 a 1, nesta terça-feira no Mineirão.

Fellaini, que entrou no segundo tempo, e, em parte, o técnico Marc Wilmots, que fez as alterações necessárias para mudar o quadro de apatia que sofria sua seleção, foram importantes para que a Bélgica largasse com três pontos no Grupo H.

A Argélia sonhou com a vitória até os 24 minutos do segundo tempo, quando segurava o jogo por 1 a 0, até que Fellaini, de cabeça, empatou a partida. Dez minutos depois, uma arrancada mortal de Hazard, craque do time, abriu a defesa pelo lado esquerdo do ataque. Ele tocou para Mertens, que também havia entrado no segundo tempo. Golaço.

O jogo virou a favor da Bélgica depois que Marc Wilmots corrigiu alguns problemas de sua equipe. O principal: a transição do meio de campo ao ataque. Entraram no segundo tempo Origi, Fellaini e Mertens. O time ficou mais rápido e ganhou mais presença de área. Lukaku, que saiu como titular, foi um dos piores do time.

Ninguém duvidava que a Argélia adotaria uma postura mais defensiva, concentrando muitos jogadores no meio de campo. O que ninguém imaginava é que um time talentoso como a Bélgica não conseguiria transpor esse bloqueio formado por cinco jogadores na faixa central do campo e uma linha de quatro na defesa.

No primeiro tempo, a Bélgica só teve uma chance de gol e ela só veio aos 43 minutos quando Hazard deixou Chadli na cara do gol. Antes, só levou perigo em chutes de fora da área com Witsel.

Já a Argélia percebeu que podia ir ao ataque jogando em cima do lateral Alderweireld. Num cruzamento para área, a bola chegou aFeghouli, derrubado aos 22 minutos por Vertonghen. Pênalti. Feghouli, que joga no Valencia, bateu com categoria, no canto: 1 a 0.

Foi o primeiro gol da Argélia em Copas desde 1986 e o suficiente para que a torcida argelina no Mineirão aplaudisse sua seleção durante os noventa minutos. E deixasse o estádio cantando: “One, two, three, viva l’Algerie!”

Saiba mais

Brasil joga mal, passa sufoco, e fica no 0 a 0 com o México

Rússia e Coreia do Sul empatam na estreia