Botafogo derrota o Flamengo e vai à final da Taça Guanabara

O Globo

RIO – Foi um presente de grego para o Galinho. No dia do aniversário de 60 anos de Zico, o Botafogo bateu o Flamengo por 2 a 0 na tarde deste domingo, no Engenhão, e garantiu classificação para a final da Taça Guanabara. Júnior César, no primeiro lance da partida, e Vitinho, no último lance, marcaram os gols da primeira vitória alvinegra sobre o Fla no Engenhão. Foi também o primeiro triunfo do Botafogo sobre o rival depois de dez jogos.

No próximo domingo, o time de Oswaldo de Oliveira decide o primeiro turno do Campeonato Carioca com o Vasco, que derrotou o Fluminense no sábado.

– O Botafogo não pode mais se contentar com vice. Vamos chegar para ser campeões – disse Jéfferson, de atuação destacada.

O começo do clássico prometia. Com menos de um minuto, Júlio César recebeu de Seedorf pela esquerda e disparou em direção ao gol. Deixou dois marcadores na saudade e chutou colocado no canto esquerdo de Felipe. A bola ainda bateu na trave antes de entrar: 1 a 0 para o Botafogo.

Se dava a impressão de que seria eletrizante, o primeiro tempo na verdade ficou devendo. Não chegou a ser um jogo arrastado, mas os goleiros tiveram pouco trabalho. O Botafogo teve o domínio das ações, mas com apenas um atacante – Rafael Marques, pouco inspirado – na frente, não chegou a criar oportunidades claras. Já o Flamengo sequer finalizou contra o gol de Jéfferson.

Dorival Júnior mexeu em dose dupla no intervalo, colocando Renato Abreu e Rodolfo nos lugares de Elias e Carlos Eduardo – esse último de atuação apagadíssima. Mudou também a atitude, e o Flamengo voltou pressionando. Aos quatro minutos, João Paulo cruzou na área e Renato desviou de cabeça para boa defesa de Jéfferson, na primeira conclusão do Fla no jogo.

Aos 20, muita reclamação no Engenhão. Rodolfo bateu colocado da entrada da área e a bola explodiu no cotovelo de Marcelo Mattos. Os jogadores do Flamengo ficaram pedindo pênalti, mas o juiz não marcou nada. Pouco depois, Jéfferson apareceu decisivamente. Após cruzamento da esquerda, Hernane apareceu livre para cabecear à queima-roupa. O goleiro alvinegro espalmou e ainda conseguiu salvar com a perna a conclusão de Hernane no rebote.

Jéfferson passou, a partir daí, a ser o nome do jogo. O goleiro salvou o Botafogo em chutes de Gabriel e Ibson, este à queima-roupa. Enquanto isso, o alvinegro também desperdiçava suas chances em contra-ataques com Vitinho e Fellype Gabriel – Felipe também aparecia bem na outra retaguarda, fazendo defesas difíceis.

Já nos acréscimos, com o Flamengo todo no campo do Botafogo, Léo Moura teve uma falta para cobrar pela direita. Felipe foi para a área alvinegra e acabou ficando, tentando marcar o gol salvador. A bola sobrou para Jéfferson, que não perdeu tempo e saiu jogando com os pés acionando Gabriel pelo lado esquerdo. O volante tocou de cabeça para Vitinho, que viu o gol guarnecido apenas por João Paulo. Vitinho não pensou em duas vezes e pegou um belo voleio de primeira, acertando o canto direito e fazendo 2 a 0. O gol encerrou a escrita alvinegra e garantiu o Botafogo na final da Taça Guanabara.