Candidato que denunciou irregularidades no concurso da Fundação Sousândrade tem notas zeradas

Sousandrade 8

O professor Júlio Graziane Correa Sales, do Preparatório Provões e Concursos, candidato a  uma vaga para o cargo de Língua Portuguesa no concurso para professor do estado do Maranhão, organizado pela Fundação Sousândrade fez uma grave denúncia em sua página no Facebook.

Ao consultar o Boletim de Desempenho, o professor notou que todas as suas notas estavam zeradas.

‘Mesmo tendo acertado 57 questões das 70 a que me submeti, mesmo que o primeiro colocado em língua portuguesa tenha feito 61 questões, e os últimos classificados tenham feito 54, a Fundação Sousândrade resolveu me eliminar do concurso público para professor do estado por mau comportamento durante a realização das provas. Eles nem computaram meus 57 pontos. Denunciar é crime? Governador Flávio Dino, mostra a tua cara! Vais compactuar com esse tipo de atitude? Não creio!, escreveu Júlio em seu perfil.

Segundo o professor, a Fundação Sousândrade lhe eliminou de forma arbitrária e assume uma postura mesquinha e ridícula tentando se vingar das denúncias de irregularidades feitas por ele.

Por conta da eliminação, o professor disse que vai acionar a justiça e processar a Fundação Sousândrade e o Estado.

Entenda o caso

Júlio diz que realizou o exame na sala 13, no colégio Pio XII, no bairro da Vila Palmeira, em São Luís e afirma ter percebido, antes do início do certame, que o envelope com as provas já estava aberto.

Após protestar, a fiscal da sala aceitou consignar a reclamação em ata. Ao  final do exame o candidato foi levado até a sala da direção da escola para assinar a ata e para sua surpresa  ao chegar  à sala percebeu que no local havia uma pilha de provas – as mesmas provas,  fora do envelope.

“Esse concurso não seguiu os protocolos de segurança que transmitem a tranquilidade aos candidatos, que garantem a lisura. Há fortes indícios de fraude e nós não podemos compactuar com isso”, afirmou.

Veja o vídeo da primeira denúncia aqui.