Com pênalti inexistente, Brasil vence a Croácia na estréia da Copa do Mundo

Folha de São Paulo

Fred e Lovren Brasil e Croácia (Foto: Agência Reuters)

Lovren, Corluka e Fred abrem os braços, e o árbitro embarca na queda do brasileiro (Foto: Agência Reuters)

Com muito sofrimento e uma contribuição do árbitro japonês Yuichi Nishimura, a seleção brasileira venceu a Croácia por 3 a 1, de virada, no Itaquerão, no jogo de abertura da Copa do Mundo, nesta quinta (12).

Neymar marcou os dois primeiros gols, enquanto Oscar fez o terceiro. O primeiro em um chute de aproximadamente 22 metros de distância. O segundo foi em uma cobrança de pênalti inexistente sofrido por Fred e marcado pelo árbitro japonês Yuichi Nishimura –o mesmo que apitou a eliminação da seleção para a Holanda na Copa do Mundo-2010.

Com os dois gols marcados nesta quinta-feira (12), Neymar chegou a 33 pela seleção principal e está entre os sete maiores artilheiros do país –juntamente com Ronaldinho Gaúcho e Jairzinho. Foi o 50º jogo do jogador com a camisa da seleção brasileira.

Além de Neymar, outro destaque do time brasileiro foi Oscar, que ganhou a bola que deu origem ao primeiro gol, tocou para Fred no lance que o atacante sofreu o pênalti e marcou o terceiro.

Com a vitória, a seleção brasileira mantém uma escrita em Copa do Mundo. Desde 1938, a equipe não é derrotada na estreia de Mundial. Em 1934, perdeu para a Espanha.

Além de Brasil e Croácia, o Grupo A ainda tem México e Camarões, que se enfrentam nesta sexta-feira (13), em Natal.

A seleção brasileira volta a campo na próxima terça-feira (17), quando enfrenta o México em Fortaleza. No dia 18, a Croácia encara Camarões em Manaus.

O JOGO

Marcelo faz gol contra jogo Brasil x Croácia Copa do Mundo (Foto: Reuters)

Marcelo faz gol contra e Perisic vibra (Foto: Reuters)

Apoiada pela torcida –o público foi de 62.103–, a seleção brasileira iniciou a partida tentando tomar a iniciativa. No entanto, a equipe encontrava dificuldades para chegar à área adversária em razão da formação defensiva da Croácia, que marcava atrás da linha do meio de campo e explorava os contra-ataques pelos lados do campo.

E foi assim que os croatas criaram a primeira chance. Aos 6 minutos, Olic completou de cabeça um cruzamento da direita e assustou Júlio César.

Quatro minutos depois, a Croácia abriu o placar em uma jogada pelo lado esquerdo do ataque. Olic cruzou rasteiro para Jelavic, que furou e o lateral Marcelo viu a bola bater em seu pé e ir para o fundo do gol.

Sem espaço, a seleção brasileira esteve apagada em campo até aos 20 minutos, quando criou a primeira chance. Paulinho invadiu a área e finalizou, mas em cima do goleiro Pletikosa. Logo depois, Neymar desceu pela direita e cruzou, no entanto, a zaga afastou. Na sobra, Oscar tentou de fora da área e Pletikosa fez boa defesa.

A Croácia continuava assustando em jogadas pelas laterais. Porém, o Brasil chegou ao empate aos 28 minutos. Oscar dividiu com dois croatas, ganhou a jogada e tocou para Neymar, que avançou e chutou cruzado para empatar o jogo. Antes de entrar, a bola ainda tocou na trave.

Dois minutos antes de balançar a rede, o atacante do Barcelona havia recebido o cartão amarelo.

O time de Felipão se encontrou e passou a dominar a partida. A seleção cresceu principalmente pela atuação de Oscar, que se movimentou bastante em campo. Apesar desse domínio, o time não conseguiu virar o placar.

No segundo tempo, o panorama da partida não mudou. O Brasil tomava a iniciativa, enquanto a Croácia marcava e tentava explorar as costas dos laterais.

Felipão dez duas alterações. Sairam Paulinho e Hulk e entraram Hernanes e Bernard. A equipe manteve a pressão e conseguiu um pênalti duvidoso. Oscar cruzou, Fred dominou a bola marcado por Louvren e caiu. Neymar cobrou e fez o gol da virada.

Após o gol, a seleção brasileira encontrou mais espaços e teve a oportunidade de aumentar com David Luiz, que completou de cabeça um cruzamento para fora.

No final, a equipe sofreu pressão do adversário. Em dois chutes de fora da área, o goleiro Júlio César apareceu para evitar o empate.

O alívio veio aos 45 minutos, quando Oscar puxou contra-ataque e tocou de bico no canto para marcar o terceiro e definir o resultado.