Comandante de pelotão da PM no MA é afastado após vídeo na web

Nas imagens, oficial aparece dançando e insinuando um striptease. Caso vídeo tenha sido feito em quartel, PM pode ser exonerado.

Mirella Nascimento Do G1, em São Paulo

O comandante do Pelotão da Polícia Militar de Santa Luzia (MA), a 290 quilômetros de São Luís, foi afastado do cargo depois da divulgação de um vídeo com supostas imagens suas dançando e insinuando um striptease.

O vídeo teria sido gravado em 2008, mas só agora se tornou público na internet. Nas imagens, o oficial aparece dançando e levantando a camiseta. Em um momento do vídeo, ele tenta esconder o rosto cobrindo a câmera, mas logo volta a dançar e é incentivado a subir sobre uma mesa. No final, ele abaixa a bermuda, mostrando a cueca.

A Polícia Militar abriu uma sindicância para investigar se as imagens foram feitas dentro do quartel – neste caso, o subtenente será julgado pela Justiça Militar e corre o risco de ser exonerado da corporação.

De acordo com o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Aluisio Mendes, o oficial foi afastado do cargo de comandante para que se aprofundem as investigações sobre o vídeo. O comando-geral da Polícia Militar e a secretaria aguardam resultado da sindicância para decidir as próximas medidas.

“Só esse fato já faz com que ele perca o comando e seja afastado das funções ativas. Mas se isso ocorreu dentro do quartel, é muito grave. Passa a ser crime militar e a pena mais grave é a exoneração”, disse Mendes ao G1.

De acordo com o secretário, a sindicância vai apurar também se esse foi um caso isolado ou se era uma prática corriqueira do subtenente. “Em tese, pelo posto dele, não deve ter nenhuma mácula na ficha de comportamento. O regimento militar diz que o decoro deve ser compatível ao cargo”, afirmou.

Procurando pelo G1, o oficial não quis comentar o caso.

Clique aqui e veja o vídeo

Comentário meu:

Quem deveria ser afastado era o Secretário de Segurança, o Agente de Polícia Aluisio Mendes . Após duas rebeliões que culminaram com a decaptação de 21 presos, Aluísio ainda continua sendo secretário.

Além disso, o senhor Aluísio não resolve o problema da violência na região metropolitana de São Luís, que ceifou a vida de 586 pessoas  em 2010.