Corpo de Eduardo Campos é sepultado no Recife

UOL Notícias

Eduardo Campos

José, filho de Eduardo Campos, abraça o caixão do pai, o ex-governador pernambucano

O corpo do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos foi sepultado no começo da noite deste domingo (17) no Recife, após um velório que durou mais de 15 horas e foi seguido por uma multidão.

Após ser tocada a marcha fúnebre, a viúva Renata Campos e os filhos tocaram e beijaram o caixão, que foi colocado no túmulo sob aplausos e gritos de “Eduardo, guerreiro do povo brasileiro”.

Uma queima de fogos de artifício em homenagem ao ex-governador durou mais de 20 minutos. Campos foi enterrado ao lado do túmulo do avó e também ex-governador do Estado, Miguel Arraes.

O governo do Estado não estimou o número de pessoas que acompanharam as homenagens a Eduardo Campos, mas policiais consultados pela reportagem falaram em 160 mil pessoas que participaram do velório e cortejo ao longo do dia.

Cortejo

Eduardo Campos

O centro do Recife parou no fim da tarde para acompanhar o cortejo do corpo. Por volta das 16h30, após homenagem com artistas locais e visitação de milhares de pessoas, o caixão foi colocado no carro do Corpo de Bombeiros.

O clima por onde passou o caixão foi de comoção. Antes mesmo de deixar o Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, onde o corpo do ex-governador foi velado, a ponte Princesa Isabel já estava completamente tomada por fãs de Eduardo, que queriam acompanhar o trajeto. Com a saída do cortejo, uma longa salva de fogos foi disparada, acompanhada de palmas do público.

Do rio Capibaribe, uma embarcação com cerca de cem pessoas carregava faixas pretas em sinal de luto. Outro pequeno barco ao lado, com cerca de 10 pessoas, também acompanhou a saída do cortejo.

O caminhão do Corpo de Bombeiros, assim como na chegada ao Recife, levou os três filhos mais velhos de Campos, Maria Eduarda, João e Pedro. Renata Campos e Marina Silva também estavam em cima do carro.

Na rua da Aurora, cerca de 150 ciclistas prestaram homenagem silenciosa, fazendo um corredor entre as duas calçadas. No prédio da Assembleia Legislativa do Estado, deputados acompanharam a passagem do corpo do ex-governador.

Nas sacadas dos prédios da avenida Mário Melo, moradores seguravam bandeiras e acenavam para a passagem do cortejo.

Em cada esquina, o PSB colocou ao menos um carro de som tocando jingles antigos de Campos e o atual, citando também o nome da sua vice, Marina Silva. Em vários locais eram vistas bandeiras de Pernambuco.

Na chegada ao cemitério de Santo Amaro, policiais militares lançaram flores em direção ao caixão durante cerimônia de honras de Estado para Campos. Os gritos do público eram pela ex-ministra Marina Silva –que deve substituir Campos na disputa pela Presidência da República–, que entrou antes da chegada do caixão.

Velório

O velório do corpo de Eduardo Campos durou mais de 14 horas em frente ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo de Pernambuco. Também foram velados no local os corpos do assessor Carlos Percol e do fotógrafo Alexandre Severo.

Uma multidão ocupou durante a manhã e a tarde de hoje as ruas próximas ao palácio. Uma missa campal foi celebrada pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido.

A cerimônia religiosa reuniu em um só palanque as maiores figuras políticas do país, como a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), o senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ex-ministra Marina Silva, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Na chegada, Lula e Dilma -que vieram juntos– chegaram a ser vaiados, mas em seguida foram recebidos com aplausos.

Na madrugada de hoje, um carro do Corpo de Bombeiros com o caixão de Campos percorreu 22 km entre a Base Aérea do Recife e o local do velório, passando por vários bairros do Recife.