Creche e posto de saúde não existem, mas recebem verba no Maranhão

Bom Dia Brasil

Conceição do Lago Açu

O Bom Dia Brasil mostra mais um daqueles péssimos exemplos de farra com o dinheiro público. Desta vez é de um pequeno município no Maranhão. Em Conceição do Lago Açu  a reportagem encontrou uma creche e um posto de saúde que não existem, mas recebem verba como se estivessem funcionando.

A obra foi abandonada há três anos. O material de construção ficou largado no meio do mato.

Seria a primeira creche de Conceição de Lago Açu – município no Centro-Norte do Maranhão.  Deveria ter sido construída com dinheiro do governo federal: quase R$ 1,5 milhão. Nunca foi concluída.

Mesmo assim aparece na prestação de contas da prefeitura como se estivesse atendendo 104 crianças, de 0 a 6 anos.

O município alega ter gastado, em 2014, mais de R$ 140 mil em despesas com a creche que não existe.

No pagamento da merenda escolar, mais problemas. O nome do pescador José Domingos Aires aparece na lista de fornecedores da prefeitura como tendo recebido mais de R$ 8 mil. “Esse dinheiro sai, mas eu não vejo não”, diz Aires.

No centro de Lago Açu, um prédio abandonado também custa caro para o município. Pela prestação de contas da prefeitura, no local funciona um centro de saúde – com serviços de ambulatório e de urgência, com dois médicos e 36 servidores públicos.

Por enquanto, o prédio serve apenas como depósito de livros – didáticos – que deveriam ter sido doados a alunos da rede pública. Cerca de 2 mil exemplares. De história, química, geografia.

Livros velhos, outros novinhos – para o triênio 2014/2015/2016 – amontoados em salas, espalhados pelos corredores.

“Eu acho uma falta de respeito. Muito grande”, reclamou a moradora Sonia Ribeiro.

“Deveria estar na escola, servindo para os alunos”, disse a professora Elcilene Pinheiro.

“O que a gente vê é o que todo mundo está vendo: é um desperdício. E da onde é? Do nosso próprio dinheiro. Que é dinheiro nosso, dos nossos impostos”, considerou a professora Nilva Silene Pereira.

O Secretário-Adjunto de Educação do município, Rosinaldo Ferreira Bringel, tenta justificar os estragos: “Não tem nenhum aluno aqui no nosso município, em sala de aula, que não tenha livro”.

Os indícios de irregularidades na prestação de contas da prefeitura de Conceição do Lago Açu chamaram a atenção do Ministério Público Federal. A Procuradoria do Maranhão já está investigando.

“Causa perplexidade o grau, o nível de descuido aparente com o recurso público que deveria ser aplicado em uma causa das mais justas que é a educação”, afirmou o procurador Hilton Araújo de Melo.

A Secretaria de Educação não soube explicar como os livros mostrados na reportagem foram abandonados nem como o nome do pescador apareceu na lista de fornecedores da merenda escolar. O Ministério da Saúde informou que repassa quase R$ 55 mil por mês à Secretaria de Saúde de Conceição de Lago Açu.  A verba é administrada pelo prefeito, pelo governo municipal. A Secretaria de Administração de Conceição de Lago Açu pediu na Justiça que as obras da creche sejam retomadas.

Nota de correção: Na reportagem exibida nesta quarta-feira (19) no Bom Dia Brasil, o procurador do Maranhão Hilton Araújo de Melo aparece creditado como Procurador Geral da República. A informação foi corrigida às 14h45 desta quarta-feira (19).