Dilma reconhece que levar neto no colo no banco de trás de carro foi “um erro”

Jornal Zero Hora, de Porto Alegre

Dilma reconhece que levar neto no colo no banco de trás de carro foi "um erro" Ricardo Duarte/Agencia RBS

Em sua conta no Twitter, a presidente Dilma Rousseff classificou como “um erro” a decisão de levar o neto Gabriel no colo, no banco de trás do carro, ao deixar o prédio da filha Paula em Porto Alegre, nesta sexta-feira.

Com o vidro do carro baixado, a presidente foi fotografada com Gabriel, mas o menino não estava na cadeirinha, como prevê a lei de trânsito.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, uma infração semelhante a deste caso renderia uma multa de R$ 191,54. É considerada infração gravíssima e a punição ao motorista é sete pontos na habilitação, conforme o artigo 168 da legislação.

Em três mensagens no Twitter, Dilma disse que foi levar o neto à casa do avô — seu ex-marido, Carlos Araújo —, no mesmo bairro. “A legislação de trânsito é clara: Criança tem que andar na cadeirinha. Peço desculpas pelo erro”, escreveu.