Dono de avião apreendido em Barra do Corda não tem condições de comprar uma bicicleta

Do blog do Luís Cardoso

Os dois delegados que chefiam o Grupo de Repressão aos Crimes Financeiros e Lavagem de Dinheiro da Superintendência Regional da Polícia Federal fizeram agora há pouco um balanço da “Operação Astiages”, que significa “Saqueador de Cidades”.

Só duas pessoas movimentaram aproximadamente R$ 50 milhões.

Eles constaram que o dono do avião apreendido durante a operação não tem condições de comprar uma bicicleta. É um laranja,  o vigía da família Teles, segundo informação de Barra do Corda ao blog. Ele é conhecido por Peba, um pobre miserável de nome Quintino Gomes da Silva.

O delegado Vitor Fernandes informou que o suposto dono da aeronave já prestou depoimento e junto com os oito outros presos será encaminhado para a carceragem da PFl em Brasília.

Os delegados informaram os bens que foram apreendidos: duas Pajeros, uma Hilux, dois Honda City, um Honda CRV, seis caminhões baú, 15 relógios de luxo (Rolex, Bvlgari, Tag Hauer, Ferrari etc.) e jóias. As apreensões foram feitas aqui em São Luís e em Barra do Corda, além de um avião bimotor e um helicóptero.

Conforme os policiais, ficou constatado durante as investigações a lavagem de dinheiro com os desvios de recursos federais.

A lavagem de dinheiro consiste na compra e venda de bens móveis e imóveis para dribar a origem das fortunas. As casas visitadas hoje, desde as 6h da manhã, em Barra do Corda e São Luís, segundo os policiais, são verdadeiras mansões cinematográficas. Boa parte pertencem aos Teles.

A PF permanece ainda em Barra do Corda para continuar algumas apreensões e trazer todo o material para São Luís para ser periciado.

As prisões serão temporárias, mas se o caso exigir elas devem ser prorrogadas. Em caso de condenação, os indiciados poderão pegar até 30 anos de prisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Respostas para Dono de avião apreendido em Barra do Corda não tem condições de comprar uma bicicleta

  1. Pedro T. disse:

    Não acredito que fiquem presos por muito tempo. Recente caso de lavagem de dinheiro ocorrido no Paraná, com condenados por muitos anos em pouco tempo mudou de rumo. Contrataram advogados criminalistas famosos de SP e um do RS. Do RS, foi o Dr. Luiz Felipe Mallmann de Magalhães, advogado de diversos empresários acusados de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e outros. Estão em liberdade e circulando pela sociedade.

  2. Fernando Costa disse:

    Este advogado criminalista do RS, Dr. Luiz Felipe Mallmann de Magalhães virou figura conhecida aqui no Paraná, pois está advogando para muitos empresários acusados de praticarem ilícitos. Aqui em Foz do Iguaçu, seu nome é conhecidos por todos. O site dele é http://www.luizfelipemagalhaes.com.br
    Ao Hilton, meus cumprimentos pelo site. É muito informativo e bem escrito!
    Um abraço,
    Fernando Costa