Em jogo eletrizante, Holanda elimina Costa Rica nos pênaltis e avança para a semifinal

O Globo

Holanda

O goleiro Tim Krul, que entrou no final da prorrogação, defende o pênalti cobrado por Bryan Ruiz, da Costa Rica

Salvador — Não foi nada fácil, mas a Holanda colocou um ponto final na trajetória da zebra do Mundial, a Costa Rica, ao vencer o duelo entre as seleções nos pênaltis, por 4 a 3, na Arena Fonte Nova, neste sábado. O placar no tempo normal foi de 0 a 0. Com o resultado, os holandeses enfrentam a Argentina, quarta-feira, às 17h, no Itaquerão, por vaga na decisão. A Costa Rica está fora da Copa, mas fez história no Brasil, saindo invicta da competição. Somente a Suíça, em 2010, tinha conseguido tal feito.

O começo do primeiro tempo revelou um jogo amarrado, cheio de cuidados por parte de ambas as equipes. Até os 17 minutos, nenhuma finalização. O primeiro lance de perigo veio aos 20, com contra-ataque holandês puxado por Memphis, que tabelou na direita com Kuyt, e chutou forte de fora da área. Navas deu rebote e Sneijder tentou novamente, obrigando o goleiro costarriquenho a fazer a defesa em dois tempos. Aos 28, Memphis assustou de novo ao receber passe de Van Persie dentro da área e finalizar de canhota. Navas salvou com o pé direito. A primeira boa oportunidade da Costa Rica veio aos 33: Bolaños lançou bola na área e Umaña rolou no meio, mas ninguém apareceu para completar.

Na volta do vestiário, os holandeses mantiveram maior posse de bola, mas a Costa Rica melhorou seu poder ofensivo. Aos 14 minutos, Díaz partiu em velocidade pela esquerda e cruzou para Campbell que, dentro da área, se atrapalhou no domínio e caiu, reclamando de pênalti na sequência do lance. Do outro lado, Robben era quem chegava com mais frequência na área adversária, quase sempre pela direita. Esbarrava na dedicada marcação da Costa Rica. A melhor chance dos holandeses veio somente aos 36 minutos da etapa final. Sneijder cobrou falta na quina esquerda da área e acertou a trave. Logo depois, Van Persie fez boa jogada dentro da área e chutou forte, mas a bola acabou desviada. O camisa 9 teve outra grande oportunidade aos 42, após belo cruzamento de Sneijder, mas chegou atrasado e não conseguiu alcançar a bola. No fim do tempo normal, Van Persie chegou muito perto de balançar as redes, mais uma vez, em chute rasteiro após cruzamento de Blind. Bola desviou no zagueiro e pegou no travessão.

Prorrogação e pênaltis

Logo no começo da prorrogação, Robben acertou forte cabeçada ao gol de Navas, que operou verdadeiro milagre ao se esticar e espalmar para escanteio. A Holanda seguiu pressionando e a Costa Rica só tentou aos 7 minutos, com Ureña pela direita, derrubado por Vlaar dentro da área. Os jogadores costarriquenhos pediram pênalti, mas o árbitro mandou o jogo seguir. Sem querer levar o jogo para os pênaltis, Van Gaal colocou o atacante Huntellar no lugar do zagueiro Bruno Martins. E a Holanda continuou na pressão, diante da brava resistência adversária. Jogo dramático!

Pela Costa Rica, Ureña lutava sozinho na frente e, aos 11 do segundo tempo extra, chegou com perigo na área holandesa, chutando cruzado, mas Cillessen defendeu. Aos 13, Sneijder levou a torcida ao delírio ao carimbar o travessão com pancada de fora da área. No fim, o técnico holandês fez uma substituição inusitada, trocando o goleiro Cillessen pelo reserva Tim Krul, dando a entender que o rendimento do camisa 23 em pênaltis era melhor que o do dono da vaga.

Valeu a aposta do treinador. Krul pegou as cobranças de Bryan Ruiz e de Umaña, ambas no canto esquerdo, garantindo a classificação de sua equipe. Com Van Persie, Robben, Sneijder e Kuyt, a Holanda não desperdiçou nenhuma cobrança. Festa laranja na Fonte Nova.

Ficha técnica Holanda  0 (4) X (3) 0 Costa Rica

Local: Fonte Nova, Salvador (BA)

Data-Hora: 5/7/2014 – 17h (de Brasília)

Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)

Auxiliares: Abduxamidullo Rasulov (UZB) e Bakhadyr Kochkarov (QUI)

Público: 51.179 pagantes

Cartões amarelos: Martins Indi, Huntelaar (HOL); Umaña, Diaz, González, Acosta (COS)

Gols nos pênaltis: Van Persie, Robben, Sneijder e Kuyt (HOL); Borges, González e Bolaños (COS)

HOLANDA: Cillessen (Krul – 16/2ºT da prorrogação); De Vrij, Vlaar e Martins Indi (Huntelaar – intervalo da prorrogação); Kuyt, Wijnaldum, Sneijder e Blind; Robben, Van Persie e Depay (Lens – 29/2ºT) – Técnico: Louis Van Gaal.

COSTA RICA: Navas; Acosta, González e Umaña; Gamboa (Myrie – 33/2ºT), Tejeda (Cubero – 5/1ºT da prorrogação), Borges e Diaz; Ruiz, Campbell (Ureña – 20/2ºT) e Bolaños – Técnico: Jorge Luis Pinto.

Saiba mais

Argentina vence a Bélgica e garante vaga na semifinal