Flamengo perde para Audax e se complica na Taça Rio

O Globo

RIO – Ficou difícil. Com uma atuação fraca e pouco poder ofensivo, o Flamengo perdeu para o Audax por 2 a 1 na tarde deste domingo, em Moça Bonita, pela quarta rodada da Taça Rio, se complicando na briga por uma vaga nas semifinais. O time soma agora duas derrotas, um empate e apenas uma vitória, com quatro pontos – seis atrás do Fluminense e oito atrás do líder Resende. Restam três rodadas para o fim da fase da classificação.

Jogadores do Audax comemoram o gol que abriu o placar contra o Flamengo Bruno Gonzalez / Agência O Globo

Na próxima rodada o Flamengo pega o Duque de Caxias, no sábado. Antes, porém, o time viaja a Belém para enfrentar o Remo na Copa do Brasil.

Jorginho surpreendeu na escalação, barrando o artilheiro do campeonato, Hernane. Ibson e Carlos Eduardo também ficaram no banco. O Flamengo já começou o jogo correndo atrás do placar. Com menos de três minutos, João Paulo cortou mal um cruzamento na área e rubro-negra e André aproveitou a sobra para chutar forte e abrir o marcador para o Audax. No meio de semana, contra o Bangu, o Fla já havia tomado um gol logo nos minutos iniciais.

A partir daí, o domínio foi rubro-negro, com o Audax até dando espaços atrás, mas com o Flamengo não aproveitando. O goleiro Rafael só foi exigido em chutes de fora da área. Pouco antes do intervalo, aos 42 minutos, Jorginho resolveu trocar Nixon por Hernane. O artilheiro do Carioca teve uma boa chance aos 45, livre na entrada da área, mas chutou muito alto, sem perigo.

O segundo tempo começou com o Flamengo todo no campo do Audax, pressionando em busca do empate. A blitz deu resultado aos oito minutos, quando Gabriel recebeu de Rafinha e, da entrada da área, soltou uma bomba rasante, sem chance para o goleiro Rafael: 1 a 1.

O empate cedo deu a impressão que o Flamengo não teria problemas em conseguir a virada, mas novamente faltou poder ofensivo ao time, que rondava a área mas pouco concluía. Na melhor chance, Elias subiu livre na área e cabeceou na trave aos 32 minutos. O jogo ficou aberto, com o Audax tendo espaço para os contra-ataques. Em um deles, aos 44, Wellington perdeu aquele gol que costuma-se dizer que nem a nossa avó perderia, livre debaixo da trave, chutando para fora.

Quando o empate, que já era um resultado ruim para o Fla, parecia definido, a situação se piorou. Aos 46, o Audax encaixou mais um contra-ataque e Hyuri foi lançado em velocidade. Ele entrou sozinho diante de Felipe e teve calma para chutar colocado no canto, marcando o gol da vitória do Audax e de mais uma derrota rubro-negra na Taça Rio.