Hilton Gonçalo pretende concorrer ao governo do Maranhão em 2014

Ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, encabeça movimento que planeja lançar candidaturas para concorrer ao governo, senado, além de vagas no parlamento estadual e federal.

Jornal O Imparcial

Detentor de um dos maiores índices de aprovação em municipio maranhense (80% em Santa Rita) e aficcionado em pesquisas qualitativas no ramo da política, Hilton Gonçalo fala com exclusividade ao jornal O Imparcial sobre sua intenção de concorrer ao governo do estado. Na última sexta-feira (18), o pedetista participou do ato de lançamento do movimento “Via Alternativa Popular” que reúne lideranças políticas do estado com intuito de lançar candidaturas majoritárias e buscar vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal.

Nos últimos oito anos, Hilton esteve a frente da administração da cidade de Santa Rita, ele proporcionou uma sensível melhora nos índices sociais da cidade e orgulha-se de ter acabado com as moradias conhecidas como “casa de palhas”. O ex-prefeito atualmente compõe as fileiras do PDT, porém partidos como PRP e PMN já fizeram convites para que o médico faça a filiação. As legendas lhe garantem o espaço para concorrer ao governo do estado, mas Hilton ainda aguarda uma conversa com o PDT para saber se terá espaço para seu projeto política, uma vez que afirma agora é irreversível a sua intenção de disputar o governo. Confira na íntegra a entrevista:

O IMPARCIAL: A ideia de disputar o governo do estado parte de você ou vem sendo incentivado por um grupo político?
Hilton Gonçalo: Inicialmente esse desejo é meu. Porém depois conversando com Waldir Maranhão (PP), Dutra (PT) e outras lideranças, além dos 20 prefeitos que ajudamos a eleger, e também candidatos que apoiamos, mas não obtiveram a vitória, começamos a a convergir na ideia de colocar o meu nome para ser discutido como candidato a governador do estado.

O projeto de se lançar a governador já está consolidado?
Cada vez mais a minha ideia de concorrer ao governo do estado está se consolidando, mas deixo claro que um projeto não se constrói sozinho. A reunião que realizamos com outras lideranças políticas serviu para pavimentar esse caminho foi um encontro suprapartidário. Ainda precisamos conversar um pouco mais, afinal tem apenas 15 dias que deixei a prefeitura de Santa Rita. Então na nossa “Via Alternativa” existem outros candidatos como a deputada estadual Eliziane Gama (PPS), o deputado federal Dutra e o próprio Deoclides Macedo (PDT), mas sabemos que no momento certo faremos a decisão e vamos escolher o candidato certo, o importante é saber que temos postulantes.

O que lhe diferencia dos candidatos que devem ser lançados pelos grupos de Flávio Dino (PC do B) e Roseana Sarney (PMDB)?
A diferença que eu vejo é a seguinte: O jeito de administrar da Roseana e o jeito de fazer política por Flávio Dino, não concordamos. O Flávio não faz uma discussão mais ampla do processo. São os dois principais pontos. Não vejo também em nenhum dos dois grupos nenhuma proposta clara para o Maranhão e nós temos. Fazer uma melhor distribuição de renda e evitar a fuga de recursos são algumas de nossas idéias para o estado.

O senhor recebeu o convite de filiação para o PRP, a sua candidatura seria facilitada com a entrada neste partido ou ainda acredita que pode convencer o PDT a lançar o seu nome?
Ainda não discutimos com o partido essa questão, portanto não posso dizer que ir para o PRP seria mais fácil ou mais difícil para lançar minha candidatura, mas acredito ser importante ampliar o nosso grupo e seria excelente fazer uma coligação com o PRP, PMN, PP e se possível PT, PDT e o PPS.

Além do PRP houve convite de outro partido para o senhor se filiar e lançar sua candidatura?
O PMN me convidou também, mas ainda não quero entrar nessa discussão, a ideia agora é discutir projeto para o Maranhão, um plano de governo. Essa questão de filiação partidária e a nossa coligação, essa questão de filiação vai ser discutido no momento oportuno.

Algumas pessoas afirmam que a intenção do senhor em lançar uma candidatura a governador não passa de um balão de ensaio em vista de fortalecer seu nome para uma disputa ao cargo de deputado federal, a qual seria mais fácil de ser alcançada?
Minha candidatura de deputado federal é totalmente impossível e inviável. Eu sou médico, não tenho perfil de parlamentar. O meu perfil é mais de executivo, executar tarefas, estar mais próximo da população, essa proposta de ser deputado está totalmente descartada. Se eu não for para eleição majoritária não irei disputar nenhum outro cargo.

A sua candidatura pode custar uma derrota eleitoral, porém pode garantir a formação de um novo grupo político?
Eu não vejo a minha candidatura como uma possível derrota. Eu lembro que quando disputei minha primeira eleição em 2000 na cidade Santa Rita, acabei sendo derrotado, pois eu não tinha um grupo político, agora é diferente, já iniciamos com grandes nomes, então dessa vez não me falta um grupo, temos várias lideranças, prefeitos e as pesquisas apontam que o nosso nome está muito bem cotado em algumas cidades. E tenho certeza que na hora que lançarmos nossas ideias, o nosso nome vai crescer mais ainda. Nós vamos surpreender pode ter certeza. Hoje eu observo que temos um grupo político e tenho certeza que o meu nome é leve. Então temos uma estratégia firmada, dessa forma não podemos entender que teremos outro resultado, se não, a vitória.

Durante a formação do secretariado de Edivaldo Holanda Júnior (PTC), o seu nome chegou a ser cogitado como secretário municipal da Saúde, chegou a ser feito algum convite?
Não houve nenhuma proposta por parte da prefeitura.

E qual a sua relação com o prefeito Edivaldo?
Muito boa minha relação com o prefeito. Eu estive defendendo a tese da candidatura de Edivaldo, além de ajudar nas eleições dos vereadores do PDT em São Luís. Também participei da eleição de certa forma intermediando um dialogo com o ministro Carlos Lupi, que acabou fazendo a ponte para que o PDT apoiasse Edivaldo, isso no primeiro turno. Porém no segundo turno minha posição foi um pouco mais distante, pois entendia que tanto a candidatura de João Castelo (PSDB) e de Edivaldo Holanda Júnior serviriam bem ao município de São Luís. Dessa forma deixo claro que no primeiro turno nos posicionamos de forma mais direta a favor de Edivaldo Holanda Júnior e no segundo mantemos uma postura mais amena.

Em uma possível candidatura qual a seria a sua bandeira em defesa do Maranhão?
Olha a minha principal defesa é diminuir o volume de produtos importados pelo nosso estado. Por exemplo: o caso de combustível. Nós deveríamos estar produzindo álcool através de plantações de cana-de-açúcar, o que poderia substituir a importação de gasolina. Dessa forma os nossos recursos ficariam dentro do estado. Outra situação é em relação ao leite, o estado gasta cerca de R$100 milhões importando leite em pó, enquanto nós temos várias bacias de leite. Aqui próximo mesmo, na região de Santa Rita, mas infelizmente não tem aproveitamento desta matéria-prima, o que acaba deixando a população empobrecida. Infelizmente também não produzimos quase nada do que consumimos, não temos indústrias. Lá em Santa Rita, eu criei o programa “Boi Orgânico”, que incentivava o abate do boi local, nós pagávamos R$2 mil por mês para o abatedor que trabalhasse apenas com o gado da região, dessa forma nós conseguimos manter dentro do nosso município uma circulação de R$150 mil por mês com essa prática, fizemos dobrar a renda per capita do município, por isso a minha principal bandeira em defesa do estado é substituir as importações e evitar a fuga de recursos do estado.

O senhor tem uma excelente aprovação nas cidades próximas de Santa Rita, mas seria necessário ser conhecido em mais municípios, já tem um plano para levar o seu nome para outras cidades do estado?
O que iremos fazer é a promoção de Caravanas pelo estado, o Lula fazia muito isso e nós iremos colocar em prática esse plano. Além disso, iremos utilizar bastante à mídia e principalmente as redes sociais, eu acredito que as eleições mudaram muito após a inserção da campanha em redes sociais. Em Bacabeira já deu certo essa estratégia e vamos levar a outros municípios. Mas deixo claro que a nossa penetração não é restrita a essas cidades, por exemplo na cidade de Pastos Bons que fica no sul temos uma boa entrada, também em cidades como Godofredo Viana e Santa Filomena. Facilmente iremos chegar a outros locais e como diz o Barack Obama iremos expandir o nosso eleitorado. Não temos dúvida que daqui a alguns dias o nosso nome estará bem pontuado nas pesquisas eleitorais ao governo.

O seu grupo vai adotar a mesma tática de Jackson Lago em 2006 em que se deu preferência aos municípios maiores, onde as vitórias obtidas foram fundamentais para a vitória?
Olha a nossa intenção é começar pelos municípios menores, afinal todo mundo visita os grandes municípios, porém esquecem dos pequenos, onde nunca ocorre um trabalho e pode ter certeza iremos massificar o nosso nome nas redes sociais em todo o estado.

Como o senhor pretende administrar a questão do lançamento de uma possível candidatura a presidência diferenciada do nome da Dilma, uma vez que os partidos que compõem essa frente fazem parte da base aliada da presidente?
Nós vamos tentar contornar essa situação. Vamos tentar evitar que a eleição federal não desmanche a nossa articulação estadual. Por enquanto os partidos que estão se reunindo nessa “Via Alternativa” somente o PPS não é da base aliada da presidente Dilma. A nossa ideia é nos manter unidos, pois a situação aqui é diferente do plano nacional, apoiamos em 2010 a Dilma e devemos seguir com essa ideia, porém aqui no estado nosso plano é de oposição ao atual governo.

Como médico e conhecedor dos problemas da saúde pública do nosso estado, o que poderia ser feito para solucionar esse problema no Maranhão?
Primeiro lugar: colocar os hospitais que estão construídos em funcionamento. Por exemplo: em São Luís, não temos um hospital estadual com emergência e urgência aberta, esta é uma situação inédita no país. Temos que abrir um centro de saúde para isso e a saída seria abrir o hospital do Ipem e o Geral, que hoje estão ociosos. Mas temos outros vários fechados pelo interior do estado. Outra medida é formar médicos no estado, criar extensão universitária, assim como fizemos em Santa Rita, para que o estudante de medicina finque raízes aqui no estado e permaneça. Sem isso o médico vai embora para São Paulo, Rio, onde tiver a extensão universitária. Eu levei estagiários de medicina, enfermagem, farmácia, psicologia, serviço social etc para os hospitais da nossa cidade (Santa Rita) e ao lado dos profissionais eles ganharam experiência e fizeram com que após a graduação, permanecessem na região, indo trabalhar em Rosário, Lago do Rodrigues e outros.

Hilton durante nossa conversa ficou evidente a sua convicção em concorrer ao governo do estado, essa postura é irreversível?
Com toda certeza. Eu sou médico, fiz uma excelente administração em Santa Rita. Eu não vejo nada que empeça a nossa candidatura. Não há questão nem política e nem técnica que possa dificultar a viabilização do meu nome.

Uma estratégia que o senhor pode adotar é convocar um político da região sul do estado para essa composição?
Não precisa ser estritamente alguém da região sul, o vice é um cargo que precisa ser discutido. Temos outras regiões do estado que podem ter uma representatividade maior e também localidades com maior densidade demográfica. Vamos tentar evitar dividir o estado entre norte e sul, a idéia é evidenciar que o estado é homogêneo, temos que acabar com essa segregação e independente da nossa candidatura ter um vice do Sul ou não, vamos trabalhar de forma igual por todo o estado.

O caminho rumo a esse candidatura está aberto para os demais partidos?
Olha inicialmente estamos representando pelo PRP, PP e PPS, não posso falar pelo PDT, pois como afirmei esse assunto ainda não foi discutido, mas esperamos sim um apoio do PSDB, como o deputado Carlos Brandão está disponível para conversas e também para o PR. O diálogo está aberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Respostas para Hilton Gonçalo pretende concorrer ao governo do Maranhão em 2014

  1. Sérgio disse:

    Mais um com sede de poder. Vai só favorecer o candidato do grupo Sarney. Já que a oposição sairá rachada como sempre. E o grupo Sarnet trabalhando em um só candidato para passar por cima de todos como um rolo compressor. Vai Hilton e te prepara para a taca grande.

  2. BOB disse:

    Dr Hilton é uma nova opçao para nosso MA, é um político com alto índice de aprovaçao em suas 2 administraçoes em Santa Rita, político como poucos que está sempre perto do povo, é acessível a quem o procura, sempre trabalhando qdo prefeito até aos domingos trabalhava, quero ver quem faz isso??? To com vc Dr Hilton.