Israel e Hamas acertam trégua após 7 semanas e mais de 2 mil mortos

Folha de São Paulo

tregua_gaza

Crianças segurando armas participam das comemorações pelo acordo de cessar-fogo duradouro nesta terça (26) na cidade de Gaza (Foto: AFP PHOTO/MAHMUD HAMS)

Um acordo para um novo cessar-fogo na faixa de Gaza foi alcançado entre o movimento islâmico Hamas e Israel, anunciaram autoridades palestinas e israelenses nesta terça-feira (26).

O cessar-fogo não tem limite de tempo e entrou em vigor às 19h (13h em Brasília).

O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmud Abbas, confirmou oficialmente a trégua. Segundo um comunicado do ministério das Relações Exteriores egípcio, Israel concordou com a entrada de ajuda humanitária e material de construção em Gaza.

Segundo os palestinos, a trégua proposta pelo Egito prevê o fim do bloqueio à faixa de Gaza, com a abertura das passagens ao território, controladas por Israel e pelo Egito, além de uma ampliação da zona de pesca palestina no Mediterrâneo.

Numa segunda fase, que começaria um mês mais tarde, Israel e os palestinos deveriam discutir a construção de um porto de mar de Gaza e a libertação de membros do Hamas presos por Israel na Cisjordânia.

Israel e Egito veem o Hamas, grupo radical que controla a faixa de Gaza, como uma ameaça à segurança e querem garantias de que armas não entrem em seu território.

O último cessar-fogo entrou em vigor no dia 11 de agosto e foi respeitado durante nove dias. Neste período de tempo, os egípcios tentaram convencer os dois lados a aceitar uma trégua prolongada.

PRÉDIOS ATINGIDOS

Predio destruido em Gaza

Palestinos olham prédio destruído por bombardeio israelense na Cidade de Gaza

No sábado, o exercito israelense havia destruído outro edifício residencial de 13 andares na Cidade de Gaza e um centro comercial na cidade de Rafah, na fronteira com o Egito.

Houve apenas feridos, já que as forças israelenses alertaram os moradores sobre o bombardeio nos locais.

De acordo com uma fonte militar, a Força Aérea de Israel realizou 15 ataques contra Gaza desde meia-noite, ao mesmo tempo que vários foguetes foram lançados contra o território israelense.

Dois palestinos morreram nesta terça-feira em um dos ataques, anunciaram os serviços de emergência do território.

Agora são mais de 2.100 o número de palestinos mortos desde 8 de julho, quando começou a ofensiva israelense Margem Protetora.

Do lado israelense morreram 64 soldados israelenses e quatro civis, sendo uma criança.

De acordo com números da ONU, mais de 450 mil pessoas deixaram suas casas e se tornaram deslocados internos, número que representa um quarto da população da faixa de Gaza.

BOMBARDEIOS

Disparos de foguetes palestinos danificaram uma casa na cidade de Ashkelon, no sul de Israel, ferindo levemente 10 pessoas segundo a polícia.

Um outro foguete lançado de Gaza foi destruído pelo Domo de Ferro na região de Tel Aviv.

As Brigadas Ezedin al-Qasam, braço militar do Hamas, anunciaram o lançamento de um foguete contra Haifa (norte de Israel) e de quatro contra a região de Tel Aviv.

Além disso, dois foguetes lançados a partir do Líbano atingiram o norte de Israel.

O Exército israelense respondeu com tiros em direção ao setor libanês de onde foram disparados os foguetes, que não provocaram vítimas.

Este é o terceiro dia consecutivo em que Israel é alvo de foguetes lançados do Líbano ou Síria.