JN no ar: O Maranhão que nao foi ao ar.

Hilton Franco

Tem jornalista  achando que o sorteio da cidade de Pinheiro-MA foi obra da TV Globo e José Serra para perseguir o filho ilustre da referida cidade. Puro engano.

Acostumados com o M de murmurar, M de motejar, M de maldizer, M de malsinar, M de mexericar e, sobretudo, M de mentir: mentir com as palavras, mentir com as obras, mentir com os pensamentos alguns jornalistas insistem em não ver a miséria que assola o Maranhão a quase meio século.

Só para refrescar a memória, o Maranhão é 2º estado brasileiro no ranking da pobreza, atrás de Alagoas (1º) e a frente do Piauí (3º) e Pará (4º). Dados da revista Veja, publicados em 29/04/2009 corrobora o que o JN no ar mostrou.

Vejamos:

  • O estado tem o pior índice de desenvolvimento humano (IDH), segundo a ONU.
  • A taxa de analfabetismo é de 21,5% – mais que o dobro da média nacional.
  • Apenas 12,5% dos domicílios tem acesso a esgoto. A média brasileira é de 70%.
  • A mortalidade infantil afeta 39 bebês a cada mil nascimentos. É a segunda taxa mais alta do país, atrás apenas de Alagoas.
  • 64 % da população do estado é classificada como miserável .É o maior índice do país.

 

Esgoto a céu aberto,na Av Pequi em São Mateus-MA.

O que foi mostrado pelo JN no ar é a mais pura verdade. As cidades maranhenses são assim mesmo – lixões a céu aberto, esgoto jorrando pelas ruas,casas sem padrão arquitetônico, sem espaços para lazer,sem paisagismo…enfim, o retrato do descaso dos políticos que enriquecem às custas do dinheiro público e não investem em infra-estrutura,pois os recursos são desviados e prejudicam  a população de viver com qualidade de vida.

Mesmo que fosse sorteado outra cidade maranhense, o retrato sócio-econômico seria igual ou pior.Já imaginaram se a cidade privilegidada no sorteio fosse a miserável  Centro do Guilherme, onde 95,32% da população recebe menos do que R$ 80 per capita mensais. Sorte nossa,senão o vexame seria maior em rede nacional.

Portanto, para nós maranhenses, o que foi apresentado pelo jornalista Ernesto Paglia da TV Globo,não é novidade e muitos fingem em não ver que o Maranhão é semelhante ao Haiti ou Quênia.

Nota:As cidades que entram no sorteio do JN no Ar tem mais de 40  mil habitantes,portanto Centro do Guilherme – MA, não poderia ser sorteada para nossa sorte.

Foto:Hilton Franco.