Leitura de livros pode reduzir pena em presídios; leia resenha feita por preso

Folha de São Paulo

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) discute se ao ler livros e fazer resenhas sobre as obras, o presidiário estudou, o que permitiria remição ao preso.

A questão está hoje no centro de uma cizânia entre juízes, promotores e defensores públicos.

O preso pode ter até 48 dias de perdão num ano caso faça uma resenha por mês. O juiz adota a prática se quiser.

Leia abaixo a resenha do livro “A Cabana”, de William P. Young, escrita em julho de 2014 pelo ex-PM Jefferson Douglas Piccioli dos Santos, que cumpre pena de 12 anos, cinco meses e dois dias de prisão por extorsão no presídio militar Romão Gomes, em São Paulo.

presos

Detentos da penitenciária Francisco Floriano de Paula, em Governador Valadares (MG), participam de projeto de leitura realizado desde maio de 2015

“O livro conta a história de um pai de família, que tem a esposa, chamada de Nam e três filhos. Um dia saiu para pegar a correspondência e achou na caixa de correio um bilhete com a frase: ‘Me encontre na cabana. Ass: papai’, ou algo parecido.

Um dia resolveu passear com os filhos e no acampamento houve um acidente de barco com dois dos filhos e depois do socorro percebeu que a mais nova, Missy, havia desaparecido.

Com ajuda da polícia e de testemunhas chegaram a uma cabana, onde localizaram o vestido sujo de sangue que Missy usava no dia dos fatos.

Depois de anos, decidiu voltar à cabana pra entender o tal bilhete. Chegando lá, sentou-se próximo de onde tinham achado o vestido e pegou no sono. Quando acordou estava em um paraíso, contudo diferente do que tinha visto e percebeu que não estava sozinho. Na cabana tinha mais três pessoas que depois descobriu ser Deus, Jesus e o Espírito Santo.

Durante dias, conversou muito com eles, onde no meu entendimento, procuraram fazer com que ele entendesse que nós não podemos deixar de acreditar em Deus, que devemos, por mais que seja difícil, perdoar o próximo para ser perdoado. E Deus o levou para onde haviam escondido o corpo de sua filha.

Quando acordou, retornando para casa, sofreu um acidente e no hospital contou ao amigo e família o que tinha acontecido e fez com que sua filha mais velha tirasse de sua cabeça que seria culpada da morte de sua irmã, fez contato com os policiais, que com sua ajuda localizaram o corpo de Missy.”

LIVROS QUE CONTAM PARA REMIÇÃO DA PENA

Presídios de MG

1. “Ágape”, de Padre Marcelo Rossi
2. “Desbravadores e Pioneiros do Porto de Dom Manuel”, de Maria Cinira dos Santos Netto

Presídios do PI

1. “A Moreninha” de Joaquim Manuel Macedo
2. “Vencendo a Depressão”, de Silas Malafaia
3. “Divina Comédia”, de Dante Allighieri
4. “Bananas Podres”, de Ferreira Gullar
5. “Oliver Twist”, de Charles Dickens
6. “O Cristo em Nós”, de João Nunes Maia
7. “Discurso Sobre as Origens”, de Rosseau
8. “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, de Allan Kardec
9. “O Médico e o Monstro”, de Robert Louis Stevenson
10. “Robin Hood”, de Isabel Vieira
11. “Os Lusíadas”, de Luís de Camões

Presídios de SP

1. “A Arte de Ouvir o Coração”, de Jan-Philipp Sendker
2. “A Sociedade da Neve”, de Pablo Vierci
3. “Persépolis”, de Marjane Satrapi
4. “Capitães de Areia”, de Jorge Amado
5. “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley
6. “O Nome da Rosa”, de Umberto Eco
7. “Dom Quixote”, de Miguel de Cervantes
8. “O Processo”, de Franz Kafka
9. “O Caçador de Pipas”, de Khaled Hosseini
10. “Abusado”, de Caco Barcellos
11. “O Diário de Anne Frank”, de Anne Frank
12.  “Estrela Amarela”, de Jennifer Roy