Nigéria ultrapassa África do Sul como maior economia africana

Folha de São Paulo

A Nigéria ultrapassou a África do Sul como a maior economia africana depois de uma revisão de cálculos que quase dobrou seu PIB, elevando-o a mais de US$ 500 bilhões, segundo dados do órgão de estatísticas daquele país.

O Birô de Estatísticas da Nigéria divulgou neste domingo que o PIB de 2013 no maior produtor de petróleo da África foi de 80,22 trilhões de nairas (a moeda local), equivalente a US$ 509,9 bilhões. O valor estimado antes dessa revisão era de 42,3 trilhões de nairas.

O novo valor reduziu a proporção entre dívida e PIB do país para 11% em 2013, ante os 19% de 2012, declarou o chefe de estatística do órgão, Yemi Kale.

A maioria dos governos revê os indicadores para o cálculo do PIB de tempos em tempos para refletir mudanças na produção interna de seus países, mas a Nigéria não fazia uma alteração desde 1990. Com isso, setores como o e-commerce, a telefonia celular e a profícua indústria de filmes conhecida como “Nollywood” – que, aliás, representa 1,4% do PIB – tiveram de ser rebalanceados para obter uma melhor avaliação da economia nigeriana.

A crescente atenção de investidores estrangeiros vinha forçando a Nigéria a calcular com maior precisão seus dados estatísticos, incluindo o PIB, segundo Kale, adicionando que a base anual será recalibrada a cada cinco anos, em linha com as práticas globais.

O salto no PIB oficial levou a Nigéria a figurar como 26ª maior economia do mundo – sua posição anterior era 33ª, disse Kale. Esse novo patamar chega num momento de crescimento de interesse de investidores no potencial de crescimento da África e de expansão da classe média.

Mas riscos políticos da Nigéria se aproximam, como as eleições em fevereiro próximo, que devem ser muito disputadas. Também há problemas em segurança, como uma revolta liderada pela seita islâmica Boko Haram no nordeste subdesenvolvido do país.

E, embora o PIB per capita tenha subido com essa revisão, para US$ 2.688, a pobreza e a desigualdade social aumentaram. “Precisamos trabalhar duro em infraestrutura, governança, [combate à] corrupção e construção de uma rede de proteção social”, disse o ministro das Finanças, Ngozi Okonjo-Iweala.

Nigéria X África do Sul

O fato de a Nigéria tomar o posto de maior economia da África vai colocar mais combustível numa longa rivalidade que mantém com a África do Sul.

A África do Sul representa o continente africano no chamado G20 e figura no Bric ampliado para Brics – bloco dos emergentes considerados mais poderosos no mundo que inclui Brasil, Rússia, Índia e China.

O fato também vai alimentar a competição dos dois países por investimentos num momento em que a África do Sul enfrenta desafios como greves de trabalhadores e altos deficits de conta corrente e orçamentários.

A despeito de seu crescimento nos últimos anos e, agora, de seu PIB ter ultrapassado o da “rival”, a Nigéria ainda está atrás da África do Sul em infraestrutura básica – como estradas e energia -, necessária para tirar sua população da pobreza. A telefonia celular nigeriana é uma das menos confiáveis da África, a qualidade da internet é pobre, as estradas são esburacadas e os portos e aeroportos são entupidos devido à má infraestrutura e burocracia. A energia é fornecida quatro horas por dia.

Em contrapartida, a África do Sul tem uma economia mais sofisticada, desenvolvida e diversificada, com avançados mercados de capitais, enquanto a Nigéria é fortemente apoiada no petróleo. Mas há quem diga que a África do Sul não pode ser complacente. “A África do Sul historicamente foi o país alvo de investimentos na África. Mas outras regiões estão cada vez mais afirmando sua voz econômica”, disse Roelof Horne, administrador de portfólios na Investec Asset Management, em Cidade do Cabo.