Aprovado fim da cobrança extra por chamada feita ou recebida fora da área de registro do celular

Agência Senado

Senadores

A  Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado aprovou nesta quarta-feira (11), em caráter terminativo, parecer favorável do senador Walter Pinheiro (PT/BA) ao PLS 85/ 2013, que extingue a cobrança do adicional por chamada em ligações realizadas nas redes de empresas pertencentes ao mesmo grupo econômico. A proposta extingue o adicional cobrado pela prestadora do serviço de telefonia móvel por chamada recebida ou originada, quando o usuário estiver utilizando a linha em área diversa daquela em que a sua linha telefônica foi registrada (serviço conhecido como roaming). A proposta será agora examinada pela Câmara dos Deputados.

Walter Pinheiro defendeu o projeto como uma das contribuições para a redução das tarifas da telefonia do Brasil, onde ele diz que o preço da telefonia móvel ainda é muito alto.

— O projeto é uma das contribuições do Legislativo para baratear as ligações para os consumidores. Aqui no Brasil, o minuto do celular é um dos mais caros do mundo, principalmente para a camada da população que mais utiliza o celular. O Brasil tem mais de 270 milhões de celulares. Desses, 80% são aparelhos pré-pagos, com o minuto mais caro. E para baratear as ligações estamos vencendo, por etapas, com a aprovação de medidas como a proposta aprovada hoje — afirmou ele.

Durante o encaminhamento da votação, Pinheiro lembrou também que a extinção da cobrança acompanha um debate mundial, que prevê práticas que reduzem custos e simplificam os processos das ligações das telefonias contratadas pelos consumidores.

— Essa é uma matéria que interfere neste cenário de comunicação e acompanha um debate exaustivo que se trava no mundo inteiro, com práticas de eliminação de roaming, por exemplo. Eu ainda tenho insistido com a Anatel que a gente tem que avançar para simplificar o processo. Com a troca, por exemplo, do número da operadora e tenho até projeto nesta direção — lembrou o senador, ao se referir ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 333/2012, que torna opcional o uso dos dois dígitos da operadora de longa distância.

No parecer, Walter Pinheiro explica que a extinção da cobrança já tem sido objeto de análise de algumas operadoras e da própria Anatel.

— A cobrança do adicional por chamada é uma faculdade das prestadoras, que, a seu critério, podem não efetivá-la. De fato, as empresas têm comercializado planos de serviço que não preveem a cobrança extra, em especial quando as chamadas fora da área de registro do terminal são originadas ou terminadas dentro de sua própria rede. Importante registrar que a própria Anatel, como forma de estimular a redução dos preços praticados, já sinalizou a hipótese de extinguir o adicional por chamada, o que pode ser feito alterando-se o Regulamento do SMP — alertou.

Wellington do Curso solicita ao governo Dino alteração do edital do concurso para professores

Candidatos aprovados poderão ser transferidos de São Luís para Alto Parnaíba, distante 1.059 Km da capital. Presidente do sindicato dos professores, aliado de Flávio Dino está calado.

Wellington

O vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado Wellington do Curso (PPS), protocolou proposição, na manhã de hoje (10), solicitando alteração no Edital do concurso público N°001 de 06/11/2015, que dispõe sobre a realização de concurso destinado ao preenchimento de 1500 vagas oferecidas e formação de Cadastro Reserva com 300 vagas para o cargo de professor do Quadro Permanente da Secretaria de Estado da Educação do Maranhão (SEDUC).

A proposição do deputado Wellington foi encaminhada ao Governo do Estado, solicitando que o edital possa especificar o número de vagas correspondentes às cidades das Unidades Regionais de Educação.

“O edital em questão não especifica o número de vagas por cidade, o que tem causado uma certa instabilidade entre os professores. No último concurso, em 2009, houve a ‘especificação’. No entanto, essa sensibilidade não se apresenta no concurso atual. Não se sabe para onde o candidato será nomeado, restando sua colocação ao arbítrio da administração estadual. Essa previsão editalícia poderá ocasionar séria injustiça, uma vez que os primeiros colocados poderão desistir da nomeação se forem encaminhados para regionais cuja distância impossibilite o convívio familiar e social.  O que se quer aqui é preservar a segurança jurídica aos aprovados e eliminar a instabilidade quanto ao futuro local de trabalho, tendo em vista que hoje é garantida a nomeação aos candidatos classificados dentro das vagas ofertadas. Somente com tal retificação estaremos zelando pela segurança jurídica, almejando à defesa incondicional da Educação e daquilo que é devido a todo professor: o respeito”, enfatizou o parlamentar.

ENTENDA A SOLICITAÇÃO:

Analisando-se o tópico 2° do Edital Nº001 de 06 de novembro de 2015, tem-se que os professores do Maranhão, ao serem aprovados no referido concurso, acabam por submeter-se à instável ciência quanto ao seu futuro local de trabalho, uma vez que o Edital dispõe que a lotação ocorrerá nas Unidades Regionais de Educação, não especificando os municípios e, tampouco, o número de vagas por município.

Ante isso, a solicitação do deputado Wellington não é estranha ao Executivo Estadual. O Edital Nº 01/2009 – Concurso público para cargos de professores da Educação Básica (Ensino Fundamental, Ensino Médio Regular e Educação Especial) lançado pelo Estado do Maranhão assim regrava: Item 26, “Ao inscrever-se o candidato deverá indicar no Formulário de Inscrição via internet, o cargo/disciplina/Município de nomeação para o qual deseja concorrer(…)”.. Logo, a proposição apresentada almeja à especificação, no edital, do número de vagas correspondentes às cidades das Unidades Regionais de Educação do Estado.

Campanha contra Flávio Dino ganha as ruas de São Luís

DSC_3141

O governo Flávio Dino ( PC do B)  cava sua sepultura a cada dia que passa. O governo que tanto pregou a mudança está marcado por nepotismo, mentiras e perseguição.

Nas redes sociais o governo Dino é massacrado pelos internautas que não rezam a cartilha comunista.

E nas ruas de São Luís já circula nos veículos adesivos com a campanha Flávio Dino Nunca Mais.

Por conta disso, o governo Dino chega a 11 meses extremamente desgastado.

 Foto: Hilton Franco

Senado aprova direito de resposta em meios de comunicação

O texto, que já havia sido aprovado pela Câmara, vai agora à sanção.

O Estado de São Paulo

Senado

Brasília – O plenário do Senado aprovou na noite desta quarta-feira, 4, o projeto de lei que regulamenta o exercício do direito de resposta aos que se se sentirem ofendidos por matérias jornalísticas veiculadas nos meios de comunicação. O texto, que já havia sido aprovado pela Câmara, vai agora à sanção.

O projeto, de autoria do senador Roberto Requião (PMDB-PR), prevê que o cidadão que se sentir ofendido em sua honra, reputação, imagem ou intimidade, pode exigir a retificação da informação em espaço proporcional à notícia divulgada. O projeto regulamenta o artigo 5º da Constituição e é o primeiro do gênero desde a revogação da Lei de Imprensa em 2009.

“O projeto preenche um vazio na legislação brasileira. As pessoas são atacadas e a mídia não leva a sério qualquer acusação”, defendeu o relator do projeto no Senado, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE).

Os senadores incluíram novamente a possibilidade de o ofendido exercer pessoalmente o direito de resposta, a chamada retificação pessoal, nos casos de conteúdo televisivo ou radiofônico. A emenda havia sido retirada do texto original na Câmara dos Deputados.

Para o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), com a transformação do projeto em lei, os órgãos de imprensa serão mais cautelosos. “Os jornais terão cuidado maior em apurar a verdade e ouvir o outro lado”, justificou.

O projeto dá ao ofendido a possibilidade de reivindicar o direito de resposta diretamente ao veículo de comunicação. A partir da data de publicação da notícia, o cidadão tem até 60 dias para exigir esse direito. O ofendido pode exigir que a resposta seja publicada em espaço semelhante ao conteúdo publicado contra ele, no mesmo horário e dia da semana.

Mesmo havendo retratação espontânea do veículo, se o cidadão se sentir insatisfeito com o tratamento, poderá recorrer à Justiça. A empresa deve fazer a retratação em até sete dias. O projeto não se aplica aos comentários feitos por usuários de internet nas páginas eletrônicas dos veículos de comunicação.

Prefeito de Codó (MA) sofre acidente em ponte que sua administração não consertou no MA

UOL

Prefeito de Codó

A ponte caiu e não foi consertada. E a falta de manutenção acabou por vitimar o próprio prefeito da cidade. Zito Rolim (PV), prefeito de Codó (a 219 km de São Luís, no Maranhão, guiava sua caminhonete nesta terça-feira (3) por uma estrada vicinal no distrito de Amparo quando caiu em uma vala onde a ponte, desmoronada, não tinha sido reparada.

Rolim teve alta nesta quarta-feira (4) de um hospital particular de Teresina, no Piauí, após ficar dois dias em observação. Segundo nota da prefeitura, o prefeito passou por exames em Codó que não identificaram problemas graves. Mesmo assim, seguiu para para um hospital de Teresina por conta de uma pancada que sofreu na região do tórax.

Segundo apurou o UOL, o acidente ocorreu em uma estrada vicinal em um trecho que deveria ter ao menos quatro pontes –todas estão interditadas para recuperação.

De acordo com um morador da cidade, que não quis se identificar, as pontes estão interditadas desde o primeiro semestre, e os serviços de reparo não foram iniciado.

A prefeitura, em nota, informou que a queda do veículo do prefeito ocorreu em uma “ribanceira por conta da pouca visibilidade no local, além da poeira na estrada”.

No local também não havia sinalização. O mesmo morador contou que, no local onde o prefeito passou, o tráfego foi desviado. “Só que ele estava trafegando de madrugada e não percebeu o desvio e não viu que não tinha mais ponte.”

Segundo o secretário de Infraestrutura de Codó, Márcio Esmero, há falha de sinalização no local, fato que teria contribuído para o acidente. Ele negou que a obra esteja parada. “É um convênio entre a prefeitura e o governo do Estado. A obra está em andamento. O erro foi a sinalização ineficaz da empresa na obra. Foi uma fatalidade.”

O secretário informou ainda que as obras incluem seis pontes na região em um trecho de 53 quilômetros. Não soube informar, no entanto, qual o prazo de conclusão dos reparos. “Tivemos uma reunião com representantes da empresa prestadora de serviços, que  se comprometeu a acelerar as obras e melhorar a sinalização nos locais.”

PAC sofrerá corte de R$ 2,7 bi em 2016

O Globo

BRASÍLIA – O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) sofrerá um corte de R$ 2,7 bilhões em 2016. Isso porque a estratégia do governo de pressionar o Congresso a apresentar emendas parlamentares que pudessem preservar o programa acabou falhando. De um total de R$ 3,8 bilhões esperados com emendas voltadas aos investimento do PAC, somente R$ 1,1 bilhão se concretizou. Os R$ 2,7 bilhões restantes terão que se transformar em corte efetivo.

Esses valores estarão num ofício que será encaminhado nesta quarta-feira pelo Ministério do Planejamento à Comissão Mista de Orçamento (CMO) e ao relator do Orçamento de 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR). O documento é um detalhamento do corte de despesas de R$ 26 bilhões que foi proposto pela equipe econômica para garantir a realização da meta fiscal do ano que vem, de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB, soma de bens e serviços produzidos no país).

Quando o corte de R$ 26 bilhões foi anunciado no início de setembro – junto com medidas de aumento de receitas, como a recriação da CPMF – o governo informou que haveria uma redução de R$ 3,8 bilhões no PAC, sendo que esse valor seria compensado pelo direcionamento de emendas parlamentares já previstas na proposta orçamentária de 2016.

Isso gerou uma crise na base aliada, que viu a medida como uma pressão do governo para obrigar os parlamentares a destinarem suas emendas ao programa. Assim, o governo voltou atrás e tornou a medida optativa. O resultado disso foi que somente R$ 1,1 bilhão poderá ser usado para preservar o programa. O restante terá que ser cortado.

Os técnicos da área econômica ressaltam que a mudança no PAC não significa que o valor global do corte de despesas mudará. Ele continuará sendo de R$ 26 bilhões. Os recursos para pagar as emendas sairão de uma reserva de contingente que já existe na proposta orçamentária.

 

Veja as propostas de campanha não cumpridas pela prefeita de Paraibano após 34 meses cargo

Prefeita Aparecida Furtado assumiu o cargo em 1/1/2013 e prometeu realizar os jogos escolares municipais. Ficou só na promessa.

DSC_0403

Vice-prefeita Rejany e prefeita Aparecida segue sem cumprir várias promessas

O Programa de Governo da prefeita Aparecida Furtado (PDT) e  da vice-prefeita Rejany Gomes (PSC) para a gestão 2013/2016 da Prefeitura Municipal de Paraibano (MA) é um verdadeiro fiasco.

O Programa de Governo apresentado na eleição de 2012 possui 182 propostas. O blog identificou 60 propostas não cumpridas até hoje. O valor corresponde a 32,9% das propostas. Com um novo levantamento que está sendo feito, o número de propostas não cumpridas pode aumentar.

“Esse governo virá com uma visão inovadora de gestão pública para garantir mais qualidade de vida à nossa população é o que pretendemos implantar em nossa cidade”, diz um trecho do Programa de Governo, disponível no site do TSE.

Em outro trecho diz: ” Nosso Programa de Governo, que na realidade não é um elenco de promessas, mas sim um compromisso que elas (Aparecida e Rejany) assumem com cada morador da nossa querida Paraibano”.

Só blá-blá-blá.

O blog do Hilton Franco mostra que tudo foi apenas promessas para enganar os eleitores.

Veja 60 propostas que a prefeita e a vice-prefeita de Paraibano continuam sem cumprir.

1. Construir Centros Integrados de Educação e Lazer como espaços de convivência e desenvolvimento de programas educativos, socioculturais e de lazer.

2. Implantar e aprimorar projetos e programas tais como: Bibliotecas Interativas, Laboratórios de Informática, Ateliê de Artes e Info-Rede.

3. Implantar jogos escolares no decorre do ano letivo.

4. Construir e reestruturar quadras esportivas nas escolas.

5. Implantar sala de reforço nas escolas, com professor capacitado para crianças em dificuldades de aprendizagem.

6. Criar o Museu e ou casa da nossa cidade.

7. Criar o Programa Teatral, destinado a incentivar o desenvolvimento de grupos teatrais com atividades de formação em teatros da cidade.

8. Fortalecer as práticas esportivas na rede de escolas municipais da zona urbana e zona rural, promovendo os jogos intercolegiais, começando pela iniciação esportiva, passando pela disseminação do esporte em larga escala e em diferentes modalidades, até a descoberta de talentos para o esporte competitivo.

9. Reforma do ginásio poliesportivo

10. Promover competições esportivas entre Bairros

11. Construção de novo ginásio poliesportivo.

12. Criar a secretaria municipal da Mulher.

13. Criar um programa Pontos de Encontro nos bairros com maior concentração de pessoas idosas.

14. Criar por meio de parcerias, o Programa de Cuidadores de Pessoas Idosas.

15. Criar um Centro Recreativo voltados para pessoa com deficiência

16. Assegurar a acessibilidade das pessoas com deficiência promovendo a adaptação de calçadas e acessos a prédios públicos, o transporte especial, o acesso à órteses e próteses e a capacitação de familiares para a reabilitação baseada na comunidade, de acordo com o Decreto Federal 5296/04.

17. Implantar o projeto Primeiro Emprego, em parceria com o governo estadual, para oferecer qualificação sócio-profissional a jovens de 16 a 24 anos, desempregados, com renda mensal per capita de até meio salário mínimo.

18. Garantir atendimento adequado e diferenciado aos jovens em situação de drogadição e às suas famílias, para que sejam tratados como dependentes químicos sujeitos de direitos

19. Implantar um transporte coletivo alternativo na cidade para a locomoção das pessoas nos bairros mais distantes.

20. Criar o Sistema Municipal de Habitação, Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano.

21. Construir novas casas populares para população de baixa renda do município.

22. Substituir casas de taipa por casa de alvenaria.

23. Apoiar a autoconstrução na reforma e ampliação de moradias, melhorando as condições de habitabilidade da população.

24. Revitaliza a Barragem do Balseiro como pontos de turismo, cultura e lazer; ampliando o acesso da população.

25. Elaborar, executar e implantar o Plano Diretor de Paraibano.

26. Promover a renovação urbana e a revitalização do Centro da cidade.

27. Criar o Programa Paraibano Bem Cuidado, priorizando o planejamento integrado dos trabalhos de manutenção da cidade, como capina, limpeza de Ruas, poda de árvores, pintura de guias, sinalização, desratização e iluminação, garantido uma cidade limpa e bem cuidada.

28. Aperfeiçoar e ampliar o sistema de coleta seletiva, coleta de resíduos e limpeza urbana.

29. Realizar a arborização e o ajardinamento dos espaços públicos e orientar sua adequada conservação.

30. Melhorar as condições de acessibilidade nas calçadas e passeios públicos.

31. Implantar o projeto Paraibano Legal, criando comissão composta por agentes da Guarda Municipal e fiscais das áreas de Tributos Mobiliários e Imobiliários, Higiene e Saúde, Postura e Abastecimento, com o sentido de orientar os donos de bares a cumprir as normas de funcionamento e assim prevenir situações de violência.

32. Criar um programa de apoio ao jovem dependente químico e atuar com rigor visando o cumprimento do Estatuto da Criança e Adolescente na proibição de venda de bebidas alcoólicas, armas e outros produtos para menores de 18 anos.

 33. Atuar pelo desarmamento infantil, incentivando a troca de armas de brinquedo por revistas em quadrinhos.

34. Elaborar e implementar a Política Municipal de Gestão e Saneamento Ambiental.

35. Criar o Conselho Municipal de Meio Ambiente.

36. Promover a Educação Ambiental na Rede Municipal de Ensino.

37. Aterro sanitário

38. Caminhões próprios para coleta de lixo, no mínimo duas vezes por semana.

39. Criatórios de porcos comunitários.

40. Reciclagem com orientação.

41. Trabalhar para ampliação e diversificação da cobertura das redes de abastecimento de água e do esgotamento sanitário no município.

 42. Intensificar as ações de fiscalização para eliminar o despejo de Lixo nas estradas, ruas e rodovias da cidade.

43. Estimular as práticas de redução, triagem, reciclagem e reutilização de resíduos sólidos.

44. Aquisição de uma Moto para vistoria na zona rural.

45. Criar o programa de hortas comunitárias, com assistência técnicas para comunidades.

46. Estimular a criação de uma associação comercial no município.

47. Implantar o projeto ‘‘Fale com a Prefeita’’ por meio do qual esta vai realizar audiências públicas nas quais pessoas ou grupos possam apresentar, propor e discutir temas.

48. Modernização do município

49. Implantar a Ouvidoria Municipal como um canal de comunicação direta entre o cidadão e a prefeitura, com objetivo de atender diretamente os munícipes em reclamações sobre os serviços prestados ou por solicitações não atendidas.

50. Aquisição de Ambulâncias equipadas.

51. Implantar o Portal da Transparência para possibilitar aos cidadãos Paraibanenses o acompanhamento e fiscalização das ações da prefeitura.

Detalhe: O Portal da Transparência está fora do ar e não tem transparência. Os valores das diárias gastas pela prefeita, vice-prefeita e servidores, simplesmente sumiram.

52. Elaborar o Plano Municipal de Segurança, com participação de representantes dos diversos segmentos da sociedade, assim como entidades e órgãos públicos ligados à segurança pública.

53. Implantar o projeto Paraibano Legal, criando comissão composta por agentes da Guarda Municipal e fiscais das áreas de Tributos Mobiliários e Imobiliários, Higiene e Saúde, Postura e Abastecimento, com o sentido de orientar os donos de bares a cumprir as normas de funcionamento e assim prevenir situações de violência

54. Criar um programa de apoio ao jovem dependente químico e atuar com rigor visando o cumprimento do Estatuto da Criança e Adolescente na proibição de venda de bebidas alcoólicas, armas e outros produtos para menores de 18 anos.

55. Elaborar e implementar a Política Municipal de Gestão e Saneamento Ambiental.

56. Construção de poços profundos da zona urbana. Reativação da creche Santa Maria e Implantação de outras creches nos bairros.

57. Aquisição de terreno na zona rural para implantação de assentamentos, bem como fixação do Homem no campo.

58. Reestrutura e ampliar o Centro de Convivências para atender os idosos, a juventude, através de cursos técnicos para o mercado de trabalho.

59. Criar o Programa Municipal de Fomento às Artes em Paraibano, que dará apoio a iniciativas nas linguagens teatral, musical, literária, coreográfica, plástica e das culturas populares tradicionais e contemporâneas.

60. Viabilizar o tratamento de água nos poços da cidade.

Clique Programa de Governo da prefeita Aparecida Furtado apresentado para a gestão 2013-2016 e veja todas as propostas.

Partido Comunista da China decide acabar com política do filho único

Folha de São Paulo

O Partido Comunista da China decidiu abolir a política do filho único vigente no país desde 1979 e permitir que casais tenham até dois filhos, informou nesta quinta (29) a agência estatal Xinhua.

A decisão do PC chinês, tomada em reunião de cúpula iniciada nesta segunda (26) para definir as diretrizes econômicas dos próximos cinco anos, representa uma importante mudança na política demográfica do país asiático.

Segundo a Xinhua, a nova diretriz é uma “resposta ao envelhecimento da população”. Não foram divulgados nesta quinta, porém, detalhes da nova política nem prazos para sua implantação.

A controvertida política do filho único foi implementada pelo PC no final da década de 70, para tentar conter a explosão demográfica no país mais populoso do mundo -atualmente, a China tem mais de 1,3 bilhão de habitantes.

Estima-se que a medida tenha impedido o nascimento de cerca de 400 milhões de pessoas desde sua aplicação.

Casais que descumprem as restrições estão sujeitos a penas como pagamento de altas multas e perda de emprego.

China

Crianças caminham sob a chuva em Shenzhen, na província de Guangdong, no sul da China

Ocasionalmente, desde 1979, o governo chinês adotou medidas ainda mais duras de repressão à natalidade, como esterilizações e abortos forçados. Ao longo dos anos, porém, foram abertas concessões para minorias étnicas e populações rurais.

Em novembro de 2013, a China flexibilizou a política permitindo que casais nos quais um dos cônjuges é filho único tivessem um segundo filho. Mas essa flexibilização atraiu menos interessados que o esperado pelo governo e por especialistas chineses.

Segundo a mídia estatal, cerca de 30 mil famílias em Pequim se candidataram a ter um segundo filho, o que representa só 6,7% das que poderiam pedir a autorização.

O alto custo de ampliar a família é apontado pela maioria como o motivo para desistir da ideia. Usuários do serviço de microblog chinês Weibo elogiaram o fim da política do filho único, mas muitos afirmaram que não optariam por uma segunda criança.

“Não consigo custear a criação de um filho, imagine dois”, escreveu um usuário.

IMPACTO LIMITADO

Especialistas apontam que a política do filho único agravou o problema do envelhecimento da população chinesa. Em 2007, havia seis adultos economicamente ativos para cada aposentado. Estima-se que até 2040 essa proporção caia a dois para um.

Além disso, houve impacto social negativo, como a discriminação de gênero. Como meninos são preferidos, aumentou a prática do infanticídio de meninas no país. Por esse motivo, os médicos são proibidos de revelar o sexo do bebê durante a gravidez.

Wang Feng, especialista em demografia e sociedade chinesa, avalia que a mudança é “um evento histórico” que vai alterar a dinâmica mundial, mas terá impacto muito limitado no envelhecimento populacional do país.

“É um evento que estávamos aguardando por uma geração, mas tivemos que esperar tempo demais para que ele chegasse”, disse Wang, professor da Universidade da Califórnia em Irvine. “Não terá nenhum impacto na questão do envelhecimento, mas vai mudar as características de muitas famílias jovens.”

Empresas fabricantes de alimentos para bebês, como Danone e Abbott, já experimentaram nesta quinta-feira valorização de suas ações diante da possibilidade de novos negócios na China.

Perseguição: Defesa exonera comandante militar que criticou o governo Dilma

Folha de São Paulo

General do Exercito

General do Exército Antônio Hamilton Martins Mourão, comandante Militar do Sul

O Ministério da Defesa exonerou do Comando Militar do Sul o general Antônio Mourão. O motivo:críticas que fez ao governo Dilma Rousseff e pelo fato de que uma homenagem póstuma a um chefe da repressão na ditadura ocorreu em um quartel sob sua jurisdição.

Mourão é um dos mais respeitados comandantes militares do Exército, e foi transferido para a Secretaria de Finanças, um cargo burocrático em Brasília. A mudanças foi incluída num pacote amplo de remanejamentos de postos militares, mas foi a única motivada por evento político. A Folha não conseguiu contato com ele.

No dia 17 de setembro, Mourão havia dito em uma palestra em Porto Alegre que “a maioria dos políticos de hoje parecem privados de atributos intelectuais próprios e de ideologias, enquanto dominam a técnica de apresentar grandes ilusões”.

Além disso, ao comentar a possibilidade de impeachment de Dilma, ele afirmou que “a mera substituição da PR [presidente da República] não trará mudança significativa no ‘status quo'” e que “a vantagem da mudança seria o descarte da incompetência, má gestão e corrupção”.

O caso foi revelado pelo jornal “Zero Hora”, e detalhado pela Folha há dez dias.

Para piorar a situação de Mourão, que não comentou as afirmações, um general sob seu comando promoveu uma homenagem póstuma ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra na segunda (26).

Morto no dia 15 deste mês, Ustra foi chefe do DOI-Codi, um dos principais centros de tortura e repressão aos adversários do regime militar (1964-85).

Ustra era de Santa Maria (RS), onde ocorreu a homenagem no quartel da 3ª Divisão do Exército. O convite para o evento, datado do dia 23, foi assinado pelo comandante da unidade, general José Carlos Cardoso.

Segundo a Folha apurou, o ministro Aldo Rebelo (Defesa) avisou previamente a presidente da medida. Para o ministro, Mourão perdeu a condição de comando com a sequência de fatos. A exoneração será um teste político para Aldo, que é do PC do B, partido que notabilizou-se durante a ditadura por promover uma guerrilha contra o governo militar.

Governo Dilma é ruim ou péssimo para 7 em 10 brasileiros, diz pesquisa

Levantamento CNT/MDA divulgado nesta terça mostra estabilidade na avaliação da presidente; 8,8% dos 2.002 entrevistados consideram gestão boa ou ótima

Estado de São Paulo

Dilma 1

Brasília – A avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff ficou praticamente estável, mostra levantamento produzido pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), em conjunto com a MDA Pesquisa, divulgado nesta terça-feira, 27. Entre os entrevistados, 70% avaliaram negativamente o governo da petista, na última pesquisa, divulgada em 21 de julho, o porcentual estava em 70,9% – a variação ficou dentro da margem de erro de 2,2 pontos porcentuais. O governo foi avaliado positivamente por 8,8% dos entrevistados, proporção superior a do levantamento anterior (7,7%).

De acordo com a pesquisa divulgada hoje, 18,1% dos entrevistados avaliaram o governo Dilma como “ruim” e 51,9% consideraram-no “péssimo”. Já para 20,4% dos entrevistados o governo da petista é “regular”, enquanto para 7,5% ele é “bom”. Apenas 1,3% dos entrevistados classificou o governo como “ótimo”. O porcentual dos entrevistados que não souberam ou não responderam foi de 0,8%.

Com relação ao desempenho pessoal de Dilma, também houve oscilações dentro da margem de erro do levantamento. A desaprovação atingiu 80,7% enquanto a aprovação ficou em 15,9%. Em julho, o desempenho pessoal da petista era desaprovado por 79,9% dos entrevistados e aprovado por 15,3%. A mudança nos porcentuais se deu em razão da diminuição dos entrevistados que não sabem ou não responderam, que passou de 4,8%, na pesquisa de julho, para 3,4% no levantamento atual.

Dilma 2

 

Foram entrevistadas 2.002 pessoas em 136 municípios de 24 unidades federativas entre os dias 20 e 24 de outubro de 2015. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, com 95% de nível de confiança. Isso significa que, em 100 pesquisas feitas com a mesma metodologia, 95 terão resultados dentro da margem de erro prevista pelo instituto.