Moto Club contrata técnico demitido do Villa Nova-MG

A torcida do Moto Club que se prepare para sofrer na série C com o técnico Leston Júnior. O novo treinador do Moto veio do Vila Nova-MG, onde fez uma péssima campanha no comando do Leão do Bonfim.

Apesar do Villa Nova ter montado elenco com jogadores com passagens por grandes clubes – como o goleiro Fernando Henrique (ex-Fluminense) e o zagueiro Gladstone (ex-Cruzeiro e Palmeiras) o time comandado por Leston venceu apenas dois jogos em oito partidas.

A última partida do treinador foi dia 19 de março, quando o Villa Nova foi derrotado pelo URT por 2 a 1 e Leston foi demitido. O Villa Nova ficou em novo lugar entre os 12 times que disputaram o campeonato mineiro e por pouco não foi rebaixado.

Em 2016, Leston foi demitido do Clube do Remo depois da derrota para o Tapajós por 1 a 0 pelo Paraense.  Em 12 jogos (nove pelo Campeonato Paraense e três na Copa Verde), o treinador conseguiu cinco vitórias, cinco empates e duas derrotas, um aproveitamento de 55,5%.

‘Ainda bem que o Remo perdeu ontem, porque se não fosse assim, esse treinador ainda estava aí é a diretoria engolindo as desculpas dele.  Mas o pior é que já fazia dias que a torcida não aceitava mais e a diretoria segurando esse cara no comando. Agora que estamos praticamente fora do estadual é que demitiram ele. Insistiram na burrice e pagaram pra ver o resultado está aí’, disse um torcedor no site do Globo esporte assim que o técnico caiu.

Leston é o quarto técnico que o Moto contrata em 2017 e segue sem acertar. Antes dele, já passaram Ruy Scarpino, Marcelo Villar e Marcinho.

Currículo

Leston Júnior já treinou equipes de diversos estados e soma passagens por Inter de Bebedouro, Olímpia, Guarani-MG, Madureira, Tupi, Remo e Mogi Mirim.

Entre seus principais feitos estão o acesso à Série A3 do Campeonato Paulista de 2010 com a Inter de Bebedouro, a briga pelo acesso na Série C de 2014 com o Madureira, o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro no comando do Tupi em 2015 e a fuga do rebaixamento na Série C do Brasileiro com o Mogi Mirim no ano passado.

Veja a campanha de Leston pelo Villa Nova-MG em 2017

Dia 29/01 — Vila Nova 1 x 2 Cruzeiro
Dia 04/02 — Caldense 1 x 0 Vila Nova
Dia 12/02 — Vila Nova 2 x 0 América de Teófilo Otoni
Dia 20/02 — Democrata 1 x 0 Vila Nova
Dia 25/02 — Vila Nova 1 x 1 Tricordiano
Dia 04/03 — Atlético Mineiro 2 x 1 Vila Nova
Dia 12/03 — Vila Nova 2 x 0 Uberlânida
Dia 19/03 — URT 2 x 1 Vila Nova

Veja também:

Depois de mais uma derrota, Leston Júnior não é mais o treinador do Villa

Leston Júnior não é mais técnico do Remo para a sequência da temporada

Mogi demite Leston Jr após confusão em treino e fica nas mãos de interino

Histórico de competições de Lestor Júnior

Morre o cantor e compositor Belchior, aos 70 anos

O Globo

RIO — O cantor e compositor Belchior morreu na noite deste sábado, em casa, em Santa Cruz (RS), aos 70 anos. A polícia acredita que a morte tenha sido natural. O governador do Ceará, Camilo Santana, decretou luto de três dias. O governo do Ceará vai providenciar o traslado do corpo para Sobral (sua cidade natal), onde será velado na manhã desta segunda-feira, no Teatro São João. Depois, o corpo será levado para Fortaleza para um velório no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. À noite, será enterrado na capital cearense.

NAS REDES: ‘Não, o Belchior não’: admiradores famosos e anônimos lamentam a morte do cantor

Um canto torto que, feito faca, corte a carne do ouvinte — era isso que buscava o dono da voz de timbre agreste, compositor de um tipo de canção que não dava para cantar sem ferir ninguém. “É para desafinar mesmo! Desafinar sempre, que esse é o desafio. Hoje em dia, já não se pode mais criar sem correr riscos. E eu quero enfrentá-los”, bradava em 1977, à revista “Pop”, Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes, o Belchior. Nascido na cidade cearense de Sobral, filho de um bodegueiro, 13° entre 23 irmãos, ele tinha acabado de se tornar — um tanto paradoxalmente, diriam alguns — um artista de grande sucesso da música popular brasileira com “Alucinação” (1976), LP que vendeu 30 mil cópias em menos de três semanas de lançado.

“Não me peça que eu me faça uma canção como se deve / correta, branca, suave, muita limpa, muito leve / sons, palavras são navalhas”, cantava Belchior na canção que abriu o disco, “Apenas um rapaz latino-americano”. Era a saga do garoto “sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior”, com audácia para virar, com ironia, a página do Tropicalismo de Caetano Veloso (citado na letra como “um velho compositor baiano”). Com duas canções popularizadas por Elis Regina (“Velha roupa colorida” e “Como nossos pais”) e outras igualmente fortes, como “Sujeito de sorte” e “Como o diabo gosta”), “Alucinação” foi a obra-prima do cantor, disco em que ele exprimiu a urgência do jovem brasileiro entre a violência do estado e o fim dos sonhos de liberdade representados pela revolução contracultural.

Belchior começou a carreira apresentando-se em festivais de música no Nordeste. Durante certo tempo, fez parte de uma cena de cantores e compositores, o Pessoal do Ceará, junto com nomes como Fagner e Ednardo. Em 1971, inscreveu-se no IV Festival Universitário da Canção, no Rio, e ganhou o primeiro lugar com “Hora do almoço”, interpretada por Jorge Melo e Jorge Teles. Na época, conheceu o cantor e compositor Sérgio Ricardo, que escolheu a música “Mucuripe”, feita em parceria com Fagner, para fazer parte do “Disco de bolso” do jornal “Pasquim”. Logo, Elis Regina e Roberto Carlos gravariam a canção da então desconhecida dupla.

— Estava ali naquela boemia quando Belchior me chamou num canto. Não éramos parceiros ainda. E ele me apresentou essa letra. No outro dia eu botei a música e, de noite, apresentei ali para um grupo de dez pessoas. Quando me toquei que as pessoas ficaram assustadas eu percebi que ela era especial — recorda-se Fagner. — Belchior foi um dos meus primeiros parceiros. Tivemos a oportunidade de fazer a música mais emblemática da minha carreira. Ele era enigmático. Quando saí do Ceará não demos continuidade às parcerias. Foi um amigo de geração.

COMPARAÇÕES COM BOB DYLAN

Um compositor refinado, cujas referências poéticas passavam por Fernando Pessoa, Arthur Rimbaud, T.S. Elliott e João Cabral de Melo Neto, Belchior não escapava às comparações com o americano Bob Dylan, por causa do timbre anasalado e os longos versos espremidos nas canções, às vezes de forma falada. Mas ele dizia que o buraco era mais embaixo, e tinha a ver com a infância passada em colégio de padres. “Cantei muito gregoriano, que tem esse desequilíbrio, porque usa a música como apoio para dizer os versículos enormes da Bíblia como uma melodia pequena”, disse em 1976, ao “Jornal do Brasil”.

Depois de um LP lançado em 1974, sem repercussão, e do sucesso com “Paralelas” (gravada por Erasmo Carlos e Vanusa), Belchior foi para a gravadora Philips, pelas mãos de Marco Mazzola, que produziria “Alucinação”. Emocionado, Mazzola dirigiu-se ao próprio Belchior em seu luto:

— Quando conheci você tinha certeza que sua música iria ficar imortal. Quando levei suas canções para uma reunião de produção, todos na sala escutaram e disseram não, eu insisti — lembra. — “Alucinação” foi um marco na nossa música. O que você passou na sua vida ficou traduzido em “Apenas um rapaz latino americano”, que ainda é uma realidade hoje, 40 anos depois.

Ex-presidente da Philips, André Midani também lamentou a morte do artista:

— Belchior, homem misterioso e artista de grande talento, já nos tinha deixado há muitos anos… quase séculos! Qual dor terá ele carregado dentro da alma? Que durma em paz agora, só tenho boas recordações desse homem íntegro.

O compositor da inquietude da juventude aos poucos cederia ao romantismo e à sensualidade, no LP “Todos os sentidos” (1978) e, no ano seguinte, voltaria a fazer grande sucesso com a canção “Medo de avião”. Em 1982, Belchior lançou o LP “Paraíso”, no qual gravou canções de um Arnaldo Antunes pré-Titãs (“Ma” e “Estranheleza”) e de Guilherme Arantes (“A cor do cacau”). No Facebook, Guilherme escreveu: “Belchior, que eu não canso de homenagear de todas as maneiras, foi e sempre será o melhor letrista de canções transformadoras que já existiu. Uma mente privilegiada em cultura e de talento cortante e visceral.”

O último disco de canções inéditas de Belchior foi “Baihuno”, de 1993, no qual a pesquisadora da USP Josely Teixeira Carlos (autora de teses sobre o artista) afirma que ele fez “um sumário das ideias que apresentou ao longo da carreira, de rapaz latino-americano, ‘baiano’ (uma referência a como os nordestinos são chamados em São Paulo) e ‘huno’ (o povo bárbaro da Ásia Central que migrou para a Europa nos séculos IV e V em busca de novos pastos)”.

Depois de um último disco, independente e de regravações, em 2003, Belchior foi se retirando de cena. Em 2006, dividiu o palco com o grupo Los Hermanos (que regravara a sua “A palo seco”) e, três anos depois, fez sua última aparição pública em um show de Tom Zé, em Brasília. Desde então, envolvido com dívidas, ele desapareceu, evitando contato com a imprensa ou com seus fãs.

Belchior morreu ontem, de causa desconhecida, em Santa Cruz, no Rio Grande do Sul, onde vivia desde 2000. O governo do Ceará prometeu providenciou o traslado do corpo para Sobral, onde será velado na manhã de hoje, no Teatro São João. Depois, o corpo será levado para Fortaleza para um velório no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. À noite, ele será enterrado na capital.

Texto atualizado às 20:17

Buraco toma conta da avenida general Artur Carvalho, em São Luís

Com o secretário mequetrefe Antonio Araújo,  a cidade de São Luís está tomada por buracos

Um buraco tomou conta da avenida general Artur Carvalho, no bairro Turu, em São Luís. O buraco já tem mais de dois meses e não é tapado.

Como o  secretário de obras Antonio Araújo não resolveu o problema, moradores da região colocaram entulho no buraco para evitar acidentes. Com o passar dos dias, o buraco voltou e ficou ainda maior. E nada de Antonio Araújo aparecer para resolver o problema.

Agora os moradores colocaram uma imensa pedra de cimento para sinalizar o local. E nada do secretario Antonio Araújo aparecer no local.

Por conta desse buraco, o risco de acidentes no local aumentou e o trânsito fica congestionado todo dia. Para desviar do buraco, os motoristas estão passando por cima da calçada que já está destruída. E nada do secretário aparecer.

Com esse secretário mequetrefe da gota serena, São Luís está sendo tomada por buracos.

Afinal, cadê esse secretário Antonio Araújo que não manda tapar os buracos das avenidas de São Luís? Acorda, Tonico!

Foto: Hilton Franco

Fla vence o Bota e enfrentará o Flu na final do Carioca

A última vez que Fla e Flu decidiram o campeonato foi em 1995, partida do famoso gol de barrida de Renato Gaúcho e o Flu foi campeão

Globoesporte.com

Com dois gols de Guerrero, o time de Zé Ricardo venceu por 2 a 1, na tarde deste domingo, no Maracanã, e conquistou classificação para a final do Campeonato Carioca 2017. Irá enfrentar o Fluminense, uma decisão de título que não ocorre há 22 anos.

Fla e Flu decidiram o título da Taça Guanabara nesta edição, com vitória tricolor nos pênaltis. Vão disputar a taça do estadual nos dias 30 de abril e 7 de maio.

A última vez em que um jogo entre eles decidiu o campeonato foi em 1995, partida do famoso gol de barrida de Renato Gaúcho e taça no armário do time das Laranjeiras. Porém, a fórmula do campeonato da época previa um octogonal na fase final. A última final entre os dois foi em 1991, com vitória do Fla.

Fluminense vence o Vasco e se classifica para a final do Carioca

Globoesporte.com

No duelo entre os campeões de turnos do Campeonato Carioca 2017, prevaleceu a superioridade técnica do Fluminense.

Na primeira semifinal do estadual, a equipe de Abel Braga não se acomodou com a vantagem do empate, fez 3 a 0 sobre o Vasco no Maracanã, com gols de Richarlison, Wellington Silva e Léo, e garantiu vaga na grande final.

Depois de um início equilibrado, os tricolores mataram o jogo logo no começo do segundo tempo e, com um a mais a partir dos 15 da etapa final, ampliaram o placar, repetindo o resultado do clássico que marcou a estreia das equipes na competição.

O Fluminense agora aguarda o vencedor de Flamengo e Botafogo, jogo que acontece às 16h deste domingo. Os rubro-negros têm a vantagem do empate para avançar à final, que será disputada em dois jogos, nos dias 30 de abril e 7 de maio. Ninguém tem vantagem na decisão – em caso de igualdade, a disputa vai para os pênaltis.

O Vasco, eliminado da Copa do Brasil e fora das competições sul-americanas, só volta a jogar uma partida oficial no dia 14 de maio, na estreia pelo Campeonato Brasileiro contra o Palmeiras, em São Paulo.

Sampaio empata com o Moto Club e se classifica para a final do segundo turno do Maranhense

Em jogo único pelas semifinais do segundo turno do Estadual, no estádio Castelão, o Moto Club e  o Sampaio Correa empataram em 2 a 2.

O Moto Club chegou a abrir 2 a 0, mas o Sampaio Corrêa empatou a partida, avançou até à final do returno do Maranhense e ainda eliminou o seu arquirrival do Estadual.

Os dois gols do Moto vieram todos no primeiro tempo. Laerte, aos 10, e Toni Galego, aos 31 abriram boa vantagem a equipe Motense.

O Moto jogou com um a menos desde os 34 do primeiro tempo, quando Toni Galego foi expulso. Na segunda etapa veio o empate do Sampaio. O Tricolor marcou com Isaac, aos 15 e Esquerdinha 35.

Na final do segundo turno, o Sampaio irá enfrentar o Cordino. Por ter melhor campanha nas fases anteriores do segundo turno, o Tricolor tem a vantagem de igualdade no placar agregado. Além disso, o  Sampaio ainda faz a partida de volta da decisão no Castelão.

O primeiro jogo da final do returno já acontece neste domingo (23), no Leandrão, às 15h45. A volta, no Castelão, será realizada, na próxima quarta-feira, às 20h15.

Santa Quitéria x Cordino

Na tarde desta quinta-feira, jogando no Rodrigão, o Cordino venceu o Santa Quitéria, por 1 a 0, e carimbou seu passaporte para à final do returno do Estadual.

O único gol da partida foi marcado por Ulises.

SITUAÇÕES

1- Se o Sampaio for campeão do segundo turno

Caso o Sampaio vença o segundo turno, o time tricolor volta a enfrentar novamente o Cordino, campeão do primeiro turno .

Somando os pontos de todas as fases, o Sampaio tem 15 pontos. Mesmo vencendo as duas partidas da final do segundo turno, o Sampaio só chega a 21 pontos.  Somando os pontos de todas as fases, o Cordino soma 25 pontos.

Então nesse novo confronto, o Cordino por ter melhor campanha passa a ter a  vantagem de igualdade no placar agregado, além disso faz a partida de volta no estádio Leandrão, em Barra do Corda.

2 – Se o Cordino for campeão do segundo turno

Caso o Cordino vença o segundo turno, torna-se campeão maranhense pela primeira vez. Nesse caso, a segunda vaga na Copa do Brasil e na Copa do Nordeste  passa a ser do Imperatriz.

Na classificação geral o Imperatriz somou 23 pontos, mas já está eliminado do campeonato. Com a eliminação do Santa Quitéria  pelo Cordino na semifinal do segundo turno, o Cavalo de Aço garantiu vaga na Série D 2018.

O Cordino já garantiu vaga na Copa do Brasil , Copa do Nordeste e Série D 2018 por ter sido campeão do primeiro turno.

Foto: Elias

Mesmo sem jogar, Imperatriz pode garantir vaga na Série D em 2018

O Imperatriz mesmo sem jogar ainda pode garantir uma vaga na Série D em 2018.

Vejamos: Na classificação geral, o Cavalo de Aço tem 23 pontos e ocupa a primeira colocação. O Cordino já garantiu vaga na Série D, na Copa do Nordeste e Copa do Brasil 2018 por ter sido campeão do primeiro turno.

O Moto Club e Sampaio estão na Série C em 2017, então não disputam vaga para a Série D em 2018. O MAC já está eliminado. O único que pode atrapalhar o Imperatriz é o Santa Quitéria.

Para garantir vaga na Série D em 2018, o Santinha precisa passar pelo Cordino na semifinal quinta-feira (20) e vencer a final do segundo turno contra o Moto ou Sampaio. Caso o Santinha fracasse, a vaga da Série D em 2018 é do Imperatriz.

Maranhão e Cordino na Série D 2017

Em 2016, Moto e Maranhão jogaram a Série D. Com o acesso do Moto para a Série C 2017, o Cordino, quarto colocado do Maranhense 2016, com 17 pontos passou a ser o segundo representante do Maranhão na Série D 2017, junto com o Maranhão Atlético Club, terceiro colocado do Maranhense 2016, com 21 pontos .

Caso o MAC seja eliminado da Série D este ano, o Quadricolor terá que ser campeão ou vice do Maranhense de 2018 para disputar a Série D em 2019.

Veja a classificação geral do Maranhense 2017 no momento

1 – Imperatriz: 23 pontos
2 – Cordino:  22 pontos
3 – Moto:  16 pontos
4 – Santa Quitéria:  15 pontos
5 – Sampaio:  14 pontos
6 – MAC: 14 pontos
7 –  São José: 13 pontos
8 – Americano: 1 ponto (Rebaixado)

Sampaio vence Moto Club e enfrenta novamente o Moto na semifinal

Sampaio e Moto Club se enfrentarão novamente. Santa Quitéria e Cordino fazem o outro jogo. Por terem a melhor campanha em seus grupos, Santa Quitéria e Moto jogam pelo empate.

A última rodada da fase de classificação do Campeonato Maranhense não poderia ser mais eletrizante. Todos os jogos aconteceram às 15h45 deste domingo (16).

No Castelão, o Sampaio Correa venceu o Moto Club e garantiu a liderança do grupo B, e também levou a classificação. Sampaio e Moto se enfrentam novamente na quinta-feira, às 20h15 no Castelão, pela  semifinal.

Pênalti e expulsões

Após uma falta violenta, aos 17 minutos do segundo tempo, Diego Silva foi expulso e desfalcou o time do Sampaio. Mesmo o um jogador a menos, o Sampaio foi para cima Hiltinho, que sofreu pênalti, defendido pelo goleiro Marcio Arantes.

Com a vantagem, o Moto não ameaçou tanto. Chico bala foi o destaque do time no embate. Porém, com o Sampaio na frente, e a pressão para o empate, Chico foi expulso aos 27 minutos do segundo tempo.

Santa Quitéria x Americano

O Santa Quitéria venceu o Americano por 2 a 1 e se classificou para as semifinais. Na Raposa, gols foram marcados por Zé Augusto e Léo Paraíba. Hugo marcou para o Americano.

O Santa Quitéria agora pega o Cordino, quinta-feira, às 15h45 no Rodrigão.

Maranhão x São José

No Nhozinho Santos, deu empate. São José e MAC amargaram um 1 a 1. Eloir e Kleo fizeram os gols. Com o resultado, Maranhão e São José se despedem do Campeonato. O MAC já se prepara para a Série D. O Peixe Pedra fica de folga, sem competições em 2017.

Imperatriz x Cordino

No Frei Epifânio, o Imperatriz venceu o Cordino por 3 a 1, mas está desclassificado e sem calendário no restante da temporada

Classificação final do segundo turno

Grupo A

1º Santa Quitéria – 9 pontos
2º Sampaio– 8 pontos
3º São José – 7 pontos
4º   Imperatriz  – 7 pontos

Grupo B

1º Moto Club – 6 pontos
2º Cordino – 4 pontos
3º Maranhão  – 3 pontos
4º Americano – 0 ponto

Com informações do jornal O Imparcial

Delator diz que Odebrecht pagou R$ 400 mil para campanha de Flávio Dino

Folha de São Paulo

Um delator da Odebrecht disse em seu acordo que a empresa deu R$ 400 mil para a campanha de 2010 do então deputado federal Flávio Dino (PC do B-MA) para o governo do Maranhão. Dino perdeu a disputa de 2010, mas na disputa de 2014 foi eleito governador daquele Estado.

O delator José de Carvalho Filho diz que a doação ilícita foi acertada em 2010. À época, segundo ele, a Odebrecht tinha interesse na aprovação do projeto de lei 2.279, de 2007, que vetava a aplicação no Brasil de leis estrangeiras que afetem o comércio internacional. Um dos temores da Odebrecht é que leis americanas que proíbem investimentos em Cuba fossem adotadas no Brasil. O delator afirma que essa lei “atribuía segurança jurídica a investimentos do grupo Odebrecht”.

O projeto de lei é da senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), que integra o mesmo partido de Flavio Dino.

STJ vai investigar Flávio Dino e mais oito governadores citados em delações da Odebrecht

G1

Os executivos e ex-dirigentes da Odebrecht que fecharam acordo de delação premiada com a Operação Lava Jato citaram situações suspeitas envolvendo 12 governadores .

Deste total, três serão investigados no Supremo Tribunal Federal (STF) por terem sido mencionados ao lado de outras autoridades que têm foro privilegiado na Corte: Tião Viana (PT), do Acre; Robinson Faria (PSD), do Rio Grande do Norte; e Renan Filho (PMDB), de Alagoas. Veja a lista com outros nove governadores ao final da reportagem.

Renan Filho é alvo de, ao menos, dois inquéritos autorizados por Fachin a pedido do procurador-geral da República. Ele será investigado junto com seu pai, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Em um deles, o senador Fernando Bezerra de Souza Coelho (PSB-PE), ex-ministro da Integração Nacional, também é investigado.

Já Tião Viana será investigado junto com seu irmão, o senador Jorge Viana (PT-AC), ex-prefeito de Rio Branco. Segundo o Ministério Público, Jorge Viana pediu dinheiro à Odebrecht para campanha eleitoral de seu irmão ao governo do Acre, em 2010.

Os delatores Hilberto Mascarenhas e Marcelo Odebrecht disseram na delação da empreiteira que repassaram R$ 2 milhões à campanha de Tião Viana, sendo R$ 500 mil como doação oficial.

Envio ao STJ

Por ordem do relator da Lava Jato no STF, ministro Luiz Edson Fachin, os episódios que envolvem outros nove governadores foram enviados ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), foro competente para julgar os chefes dos Executivos estaduais.

Agora, caberá ao STJ analisar o pedido e autorizar o início das diligências solicitadas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Veja quem são os governadores citados pelos delatores da Odebrecht:

Paulo Hartung (PMDB), do Espírito Santo;

Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo;

Beto Richa (PSDB), do Paraná;

Fernando Pimentel (PT), de Minas Gerais;

Flávio Dino (PC do B), do Maranhão;

Luiz Fernando Pezão (PMDB), do Rio de Janeiro;

Marconi Perillo (PSDB), de Goiás;

Raimundo Colombo (PSD), de Santa Catarina;

Marcelo Miranda (PMDB), de Tocantins.

Foto: Hilton Franco