Paraibano (MA): Professor Amaury deixa governo Zé Hélio

O professor Amaury Carneiro não faz mais parte do governo Zé Hélio (PT).

Em nota encaminhada ao blog, Amaury diz que está sendo alvo de perseguição por parte de aliados do prefeito Zé Hélio.

Na nota, Amaury fez críticas à secretária de educação Doralina Coelho dizendo que ela é ditadora  e utiliza métodos arcaicos, típicos da época do coronelismo para perseguir os funcionários.

Amaury alega que foi um dos principais defensores e articulador da candidatura petista, entretanto nunca foi reconhecido pelo prefeito depois de eleito.

Veja a nota

Das pessoas envolvidas no cenário político de Paraibano, eu, professor Amaury Carneiro, fui um dos primeiros a declarar apoio à candidatura do prefeito Zé Hélio (PT), desde o começo do mês de junho de 2015, quando realizamos a primeira reunião da oposição e seu nome já era cogitado como pré-candidato a prefeito.

 Fui candidato a vereador em 2016 pela coligação Unidos Pela Mudança e me dediquei com empenho total e irrestrito na campanha que elegeu Zé Hélio, acreditando em uma mudança para melhor na administração pública municipal de minha querida cidade.

No entanto, desde o fim da campanha eleitoral de 2016, tenho sido alvo de perseguição política promovida por alguns aliados do próprio grupo político do qual ajudei a eleger o atual prefeito.  Isso é um absurdo.

Esses aliados se aventuram de forma irresponsável em fazer fofocas, picuinhas, acusações levianas e mentirosas a meu respeito. Essas pessoas em nenhum momento se preocupam com o município e sua população, se preocupam apenas em  conquistar seus objetivos pessoais utilizando os meios mais  escusos, nocivos e sórdidos possíveis e, ainda mais revoltante, é a postura do prefeito, que não apura os fatos e dá credibilidade, acredita fielmente nessas pessoas desqualificadas, que não conseguem seus objetivos por seus próprios méritos e tentam denegrir com informações infundadas,  falsas, a imagem das pessoas que se portam de maneira honesta, de forma ilibada perante à sociedade.

Até minha esposa, mãe de família dedicada, mulher digna, uma pessoa que vive do trabalho para casa, tem sido alvo de perseguição.  A Rosângela está sendo perseguida secretária municipal da educação, que está administrando a referida secretária ‘ com ‘mão de ferro’, autoritária, ditatorial, utilizando métodos arcaicos, típicos da época do coronelismo, totalmente condenado pela sociedade. Administra a pasta da educação tratando alguns funcionários da classe, de forma diferenciada e mais uma vez o prefeito se esquiva da situação e não apura os fatos.

Nem na gestão da ex-prefeita Aparecida Furtado, onde eu era oposição, adversário político, não fui tão perseguido. Fui adversário, não inimigo, pois sempre respeitei e respeito  muito as pessoas, as famílias que merecem.

Estava me mantendo calado até o momento, mas diante dessas injustiças, com clara intenção de atingir minha pessoa, minha família, resolvi vir a público e manifestar meu descontentamento e repúdio.

Portanto, diante de todos esses fatos, comunico aos verdadeiros amigos, correligionários, meu desligamento desse grupo político, mas continuarei ajudando o próximo sempre que precisar de mim.

E quanto as pessoas que estão tentando fazer o mal a mim, eu as perdoou, não será necessário ser grosseiro, pois nossa jornada juntos aqui é muito curta e não pode ser revertida.

Professor Amaury Carneiro.