Paribano (MA): Retratações entre secretária de educação e professor

Após audiência judicial, com processos nº 705-31.2017.8.10.0104 e 707 – 98.2017.8.10.0104 entre o Professor Amaury Carneiro e a senhora Doralina Coêlho, Secretária da Educação do município de Paraibano /MA, o Juiz de Direito desta comarca, o Exmo. Senhor; Caio Davi M. Veras, propôs composição entre as partes, através de retratações públicas. Ambas as partes não se opuseram e aceitaram a conciliação.

 O professor e a secretária, foram acompanhados das respectivas advogadas,   Kiara Gabriela S. Ramos e Lanuza Fernandes Damasceno.

 Diante do acordo firmado judicialmente, veja as retrações dos envolvidos.

 

 NOTA DE RETRATAÇÃO

 

Eu, Doralina Coelho de Sousa Santos, venho através do presente instrumento, de forma respeitosa, retratar-me sobre a Nota de Repúdio emitida ao Professor Amaury Carneiro, por meio das redes sociais. A presente nota tinha por objetivo apenas me defender das acusações feitas pelo professor, jamais visava agredir ou denegrir a imagem do mesmo, sendo que a nota não foi interpretada como deveria e, acabou assim, criando um mal-estar entre as partes.

 Tal nota foi emitida apenas como resposta ao mesmo, sendo que jamais pensei em emitir nenhum parecer que colocasse em cheque a condição moral do professor. Reafirmo meu compromisso com a Educação e com todos os professores da rede municipal, incluindo o nobre professor, que tem desempenhado suas funções dentro do Município e do Estado. Jamais iremos excluir e ou fazer acepção de nenhum servidor, procurando sempre tratar todos de forma igualitária, desde que todos cumpram com seus deveres e assim garantam integralmente seus deveres.

Atenciosamente;

Doralina Coelho

 

 

NOTA DE RETRATAÇÃO

Eu, Sebastião Amaury Carneio Pereira, professor, venho por intermédio desta, me retratar publicamente em relação à algumas palavras publicadas em uma Nota Pública, no dia 06 de abril de 2017,  no site, (HiltonFranco.com), onde em um trecho da nota, referir-me à Senhora Doralina Coêlho, secretária municipal da educação deste município, em relação à sua forma de administrar a pasta; tais palavras foram interpretadas erroneamente e,  a secretária, se sentiu ofendida, porém esse não era o objetivo.

 Portanto, uma situação isolada que não reflete a minha conduta em sociedade, uma vez que na minha vida pessoal e profissional prezo pelos valores de ética e moral, sempre, e sempre respeitando o próximo. Nesse caso, não tive a intenção de ofendê-la, jamais.

Atenciosamente;

Professor Amaury Carneiro