Pedofilia em sete minutos. Brasil é o 4º país do mundo com maior número de pedófilos

Diário de Pernambuco

Foto:Google

Sete minutos. Esse é o tempo médio necessário para adquirir a confiança de uma criança, por meio da internet. De induzi-la a revelar dados pessoais ou suas próprias imagens usando para isso a segurança de uma tela de computador, muitas vezes não rastreável.

O dado da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia ganha mais força no país que ocupa o 4ª lugar do mundo em crimes contra a criança por meio da rede mundial de computadores.

A maioria deles cometidos por meio de sites de relacionamento como o Orkut, onde, segundo a Polícia Federal, 80% dos abusos são realizados. Muitas denúncias não chegam à polícia. Os pais têm medo de expor os filhos. Ainda assim, no estado, dez inquéritos foram instaurados pela Polícia Federal desde o início do ano passado. Todos estão em andamento.

No Brasil, são registradas mais de 2,5 mil denúncias de crimes cibernéticos do gênero todos os dias. Em geral, envolvendo crianças entre 4 e 12 anos. As meninas são imensa maioria: a proporção é de dez meninas para cada um menino. Abordagens com cunho supostamente inocentes são mais comuns do que a maioria dos pais possam pensar.

A estudante do 8º ano do ensino fundamental, C.G.F.M, 11 anos, de Ouro Preto, em Olinda, convive com convites de desconhecidos, em especial de homens mais velhos. ´Não só comigo. Várias amigas minhas já receberam convites para amizade, no Orkut, de gente dizendo que queria conversar. Mas a gente rejeita e deixa para lá`, conta. O pai, A.M.A.J., diz que acompanha de perto o acesso da filha, em especial no Orkut. Mantém uma conta no site de relacionamento para identificar possívedis pedófilos. ´Sempre converso e oriento. Além disso, tenho as senhas de acesso para o caso de suspeitar de algo. Graças a Deus, até hoje não tivemos problemas`, garante.

Pensando em evitar esse tipo de abordagem, a PF realiza hoje, Dia Internacional da Internet Segura, as duas primeiras palestras do ano, com pais e alunos de dois colégios da Região Metropolitana do Recife. A meta é esclarecer esse público sobre como lidar com essas situações, evitando que sejam vítimas de possíveis abusadores na web. A ação faz parte da campanha É mais do que um jogo, é a sua vida, slogan que identifica o movimento presente em 65 países.

Além de descrever o perfil do pedófilo, os agentes da instituição vão apontar comportamentos de uso da internet das crianças que podem ser consideradas vulneráveis a esse tipo de ação. Serão 700 vagas no Colégio Motivo, em Boa Viagem, no Recife, e outras 900 na Escola Municipal Professor Antonio Benedito da Rocha, no Cabo de Santo Agostinho, divididos em dois horários, às 8h e às 14h. ´Esse tipo de iniciativa será realizada sempre que houver necessidade. Basta que a escola ou empresa que queira receber a ação encaminhe um ofício à PF e entre em contato pelo telefone 2137-4076 para realizar o agendamento`, garantiu o chefe de comunicação da PF, Giovani Santoro.

Como agem

Casos do gênero acabam sendo recorrentes em redes de relacionamento, como o Orkut, em que os interesses da criança ficam expostos em comunidades e há postagem de fotografias. Não se deve, em hipótese nenhuma, deixar o álbum de fotos aberto ao público. Além disso, as fotos postadas não devem identificar a residência ou escola, por exemplo.