Petrobras avalia reajuste da gasolina ainda em 2014, afirma Graça

Folha de São Paulo

A presidente da Petrobras, Graça Foster, sinalizou nesta segunda-feira (12) que o preço dos combustíveis deve voltar a subir nos próximos meses.

A executiva ponderou, porém, que será um ajuste “moderado”, sem repassar o movimento de curto prazo.

“Não vamos fazer um ajuste de curto prazo”, afirmou em teleconferência sobre os resultados da companhia.

Foster não fixou nem data nem percentual, mas disse que a estatal “avalia” o aumento ainda neste ano.

Segundo ela, está mantida a meta da estatal voltar a ter um fluxo de caixa positivo em 2015. Para tal, diz, é necessário aumentar a produção, ajustar os preços aos do mercado externo e continuar com o programa de venda de ativos.

PRODUÇÃO

A presidente da estatal reafirmou o compromisso com a meta de ampliar em 7,5% a produção neste ano.

De acordo com ela, houve uma grande evolução de fevereiro a maio, com a interligação de poços de alta produtividade às plataformas, que adicionaram cerca de 120 mil barris/dia em áreas de alto potencial.

Segundo a presidente da estatal, programas de melhoras operacionais, de redução de custo e de otimização geraram um resultado positivo de R$ 3,1 bilhões para a companhia.

“Se não fossem esses programas, o lucro da companhia seria menor.”

A Petrobras lucrou R$ 5,393 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 30% menos que em igual período de 2013.

A menor produção de petróleo, a provisão bilionária para o programa de demissão voluntária e o crescente prejuízo na área de abastecimento foram os grandes vilões do balanço da estatal.

ANP

A estatal também informou que recorrerá à Justiça contra a decisão da ANP (Agência Nacional do Petróleo) de classificar como um único campo as áreas de Lula e reservas contíguas.

A decisão da agência reguladora pode fazer com que a empresa tenha de pagar mais royalties sobre a produção da área.

Por volta das 15h30, as ações preferenciais da Petrobras avançavam 1,64% e as ordinárias 1,86%.