PPS repensa candidatura própria ao governo do Maranhão

WELLINGTON

Igor Lago e Wellington do Curso são a favor da candidatura própria do PPS.

Cresce a insatisfação de dirigentes e pré-candidatos do PPS com os encaminhamentos adotados pela direção da campanha do pré-candidato ao governo do estado Flávio Dino. Os integrantes da corrente popular socialista, que sempre defenderam uma candidatura própria do Partido, vêm ganhando fôlego nos últimos dias, tal fato justifica, por exemplo, a definição da convenção do Partido apenas para o dia 30 de junho, que é o último dia para a realização de convenções partidárias.

Para Wellington do Curso, vice-presidente da Executiva Estadual e Presidente Municipal do PPS, essa data foi escolhida como forma de se ganhar tempo para a obtenção de mais aliados para a tese da candidatura própria. É bom lembrar que o PPS, nas eleições passadas, decidiu-se no último minuto a apoiar Flávio Dino, episódio que garantiu a própria candidatura do mesmo ao governo do Estado. Na ocasião era dado como certo ao apoio do partido ao ex-governador Jackson Lago.

“Defendi o projeto majoritário do PPS até o limite de nossas articulações. Acompanhei Eliziane Gama em todas as viagens, a dezenas de municípios e percorremos mais de 8 mil quilômetros pelo Maranhão, levando a notícia da nossa luta, a boa ideologia da NOVA POLÍTICA, conversando com lideranças e com os mais humildes, sentindo que estávamos no caminho certo. Novas pessoas: honestas, e trabalhadoras se incorporaram ao nosso sonho. No entanto, não foi viabilizado. Sou partidário. Acatei a decisão do partido em abortar o projeto majoritário do PPS, em prol da união das oposições em torno da candidatura de Flavio Dino, porém temos que ter as garantias do cumprimento do que foi acordado”, destacou Wellington do Curso, pré-candidato a deputado estadual.

A situação é de insatisfação no PPS, até mesmo os dirigentes do Partido que foram aliados de primeira, da tese dinista, estariam ressentidos com o tratamento dispensado pelo candidato Flávio Dino, sobretudo, com compromissos políticos que deveriam ser assumidos pelo comunista e que até o momento não se concretizaram. Além da coligação proporcional para deputado estadual que está indefinida. “Não estou remando contra, porém como um dos dirigentes do PPS, tenho a preocupação em viabilizar a candidatura proporcional dos nossos pré-candidatos e defender o meu partido.” Ressalta o professor Wellington.

Wellington do Curso tem intensificado os contatos com os convencionais do partido, defendo a retomada da candidatura de Elisiane Gama ou a candidatura de Igor Lago ao governo do Estado, contando com o apoio dos egressos do PDT e com a insatisfação dos aliados de Flávio Dino no partido, que se sentem preteridos pela direção da campanha do candidato comunista.