Primeiro semestre de 2011 registra 282 assassinatos na Grande São Luís

Dois bairros empataram com o maior número de crimes, Coroadinho e Cidade Olímpica

Jornal Pequeno

Por Wellington Rabelo

A redação do Jornal Pequeno concluiu, esta semana, o levantamento sobre os assassinatos registrados na região metropolitana de São Luís, no primeiro semestre do ano de 2011. Durante esse período, o Instituto Médico Legal (IML) registrou a entrada de 282 corpos de vítimas de homicídios e latrocínios (roubos seguidos de morte); o número superou em seis a quantidade de crimes ocorridos no mesmo intervalo de tempo de 2010, quando foram contabilizadas 276 mortes.

O levantamento apontou que dois bairros da capital maranhense aparecem como os de maior incidência, Coroadinho e Cidade Olímpica, com 14 assassinatos cada. Em segundo lugar, vem o São Raimundo, Liberdade e Maiobão, com sete crimes; seguidos pelo Jardim Tropical e Maracanã, onde foram registradas quatro mortes. No primeiro semestre de 2010, o bairro mais violento foi a Liberdade, com um total de 14 homicídios; seguido pelo Coroadinho, com oito.

Dos 282 crimes, 177 foram cometidos com uso de arma de fogo, 77 com arma branca, três com a utilização dos dois tipos e 25 por uso de outros meios, tais como espancamento, estrangulamento, pedrada e paulada. No mesmo período do passado, 144 armas de fogo foram usadas nos assassinatos, 112 armas brancas e 17 meios diferentes. Das pessoas mortas em 2011, 256 eram do sexo masculino, sendo dois homossexuais; dez mulheres e 16 adolescentes. Dos homens mortos, três eram policiais militares.

Janeiro – Em janeiro foram registrados 54 assassinatos, número superior ao de 2010 quando houve 51 homicídios. Neste mês, três crimes tiveram destaque na imprensa: a morte de Paulo de Tarso Colins Silva, 22 anos, vítima de arma de fogo em frente à rodoviária, na Avenida dos Franceses; a de Carlos Fernando Madeira da Costa, conhecido como “Aquático”, 22 anos, assassinado em plena luz do dia, às 12h, no Jardim América; e a de José Wilson Rodrigues da Costa, o “Urso”, 33 anos, morto dentro de sua própria casa, também ao meio-dia, na Vila Magril – área da Santa Bárbara.

Fevereiro – Neste mês, houve o registro de 38 assassinatos, três a menos do mesmo período de 2010. Entre os crimes que tiveram destaque está o que vitimou João Batista de Sousa, 41 anos, executado na manhã de um sábado, próximo à feira da Cidade Olímpica com três tiros na cabeça. Outro caso foi o de José de Ribamar Lopes de Amorim, 58 anos, assassinado pelo seu próprio irmão, Raimundo Lopes de Amorim, 65 anos, em Paço do Lumiar; e ainda a morte do idoso Ocindo Costa Gonçalves, 72 anos, vítima de arma de fogo no Conjunto São Raimundo.

Março – O mês de março foi marcado por 51 homicídios, número igual ao registrado em 2010. Em março, quatro crimes mereceram destaque nos meios de comunicação, devido às características de execução. Os ex-presidiários Jefferson Tadeu dos Santos, 24 anos, e Hamilton Silva Lindoso, 26 anos, foram executados a tiros em frente à Boate Marrocos, no São Cristóvão, pelos mesmos autores; Damázio Santos Belfort Filho, 33 anos, foi alvo de disparos em plena luz do dia, também no São Cristóvão; o ex-presidiário Robson Galvão Lindoso, 28 anos, executado com dois tiros na cabeça, na Praia do Meio/Araçagi; Benedito Guimarães Carvalho, 48 anos, também morreu com características de execução, em seu bar, na Cohab/Anil.

Abril – Neste mês, foram registrados 48 assassinatos, sete a menos do registro feito em 2010. Entre os crimes que ganharam destaque está o que vitimou o comerciante Ruan Carlos Souza Cordeiro, 36 anos, morto durante uma tentativa de assalto; e o que provocou a morte do adolescente Tiago Gomes Sena, o “Tiaguinho”, 17 anos, que teve parte da orelha direita decepada, na Raposa.

Maio – Durante o mês de maio foram registrados 46 crimes, quatro a mais do número de ocorrências do ano passado. Os casos mais destacados nesse período foram a morte do cabeleireiro José Benedito Pereira Moraes, 64 anos, no Ipase, vítima de latrocínio; e dos irmãos Antônio Carlos Macário Sousa, de 44 anos, e Domingos Macário Sousa, de 47 anos, estrangulados na Vila Maranhão.

Junho – Este mês foi marcado pelo registro de 45 homicídios, cinco a menos que em 2010. Entre os crimes que ganharam repercussão na imprensa está a morte do ex-presidiário José Márcio Pestana da Silva, de 30 anos, no Filipinho; do empresário Dorgival Alves Cavalcante, de 53 anos, no Araçagi; e do também empresário João Carlos Heluy de Araújo, de 73 anos, executado no Renascença II, tendo como principal suspeito de cometer o homicídio Itapuan Melo Ferreira, 63, que se matou horas depois, com um tiro na cabeça, no Caratatiua.