Reportagem mostra condições de estádio superfaturado por Luis Fernando Silva

Blog Marrapá

img21 450x239 Reportagem mostra condições de estádio superfaturado por Luis Fernando Silva

Ainda em 2007, as manchetes davam conta: “Vem aí a reforma do Estádio Dário Santos”. A obra anunciada pelo então prefeito da cidade de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, deveria custar R$ 700 mil para ampliação e construção de arquibancada.

Fruto de convênio com o governo do Estado na gestão de Luis Fernando, o contrato 379/2010 aparece no Diário Oficial com o valor de quase R$ 3 milhões, dinheiro que serviria para a construção de arquibancada coberta e uma área descoberta com capacidade para cerca de dois mil torcedores.

Já na gestão de Gil Cutrim, vice de Luis Fernando que assumiu a prefeitura, o orçamento da reforma do estádio aumentou em mais de R$ 2 milhões, dinheiro que serviria — de novo — para a cobertura da arquibancada.

Sete anos depois de anunciada a obra, no bairro Moropóia, próximo a sede de São José de Ribamar, o estádio apelidado de Caldeirão de Peixe, numa alusão ao time da cidade, não passa de um elefante branco que já consumiu milhões de reais.

Só no último convênio firmado com o governo do Estado do Maranhão, o valor suplementado é superior ao dobro da previsão inicial de R$ 700 mil.

A placa anuncia mais de R$ 1,8 milhões de um convênio assinado em novembro de 2013. O valor total da obra ultrapassa R$ 7 milhões

Transcrição da reportagem do jornalista Jeisael Marx. Veja em vídeo: