River-PI pede cancelamento de Remo x Brasiliense e ameaça parar Série D

Clube encontra suposta irregularidade do atacante Danilo Lins, do Remo, e denuncia caso ao STJD. Tricolor aguarda eliminação do time paraense e vaga nas oitavas.

Globoesporte.com

elizeu7

Elizeu Aguiar mostra documentos com irregularidade na escalação de atacante do Remo (Foto: Wenner Tito)

Em coletiva realizada na tarde desta terça-feira, o presidente do River-PI, Elizeu Aguiar, confirmou que encaminhou denúncia ao STJD sobre uma suposta atuação irregular do atacante Danilo Lins, do Remo. A intenção da diretoria tricolor é que o julgamento coloque a equipe piauiense no lugar do time remista na segunda fase da Série D do Brasileiro. O dirigente riverino também enviou um pedido à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) solicitando o cancelamento da partida entre Remo e Brasiliense, válida pelas oitavas de final da Quarta Divisão, prevista para o próximo domingo, no Estádio Mangueirão, e não descartou que o caso possa paralisar toda a competição. A diretoria do Remo afirmou que só irá se pronunciar sobre o caso após a avaliação do STJD.

A denúncia do River-PI se baseia no artigo do Regulamento Geral de Competições da Fifa que trata sobre o registro de jogadores. Segundo a norma, um jogador só pode ser registrado por um máximo de três clubes em uma temporada. O atacante Danilo Lins, segundo documentos apresentados pela diretoria tricolor, já está no quarto clube no ano. Além de Remo, ele já foi registrado por Central, de Pernambuco, Potiguar e Mogi Mirim. Pela equipe do Rio Grande do Norte, Danilo não chegou a atuar, mas teve seu nome no BID.

River

Pelo Remo, o jogador foi relacionado nas vitórias sobre Interporto e o próprio River-PI. Assim, o clube perderia os seis pontos conquistados nos jogos e mais seis pontos de punição por cada partida em que o jogador foi relacionado irregularmente. Assim, o Remo terminaria a competição na lanterna do grupo A2, com apenas dois pontos, e o River-PI assumiria a segunda posição e a vaga na próxima fase, com nove pontos somados.

Ao tomar conhecimento do caso, Elizeu determinou o retorno dos jogadores aos treinos e encaminhou a denúncia ao STJD, além de procurar a CBF solicitando o cancelamento da primeira partida entre Brasiliense e Remo.

– Não vamos pecar, como diretor, por omissão. Vamos provocar tanto o departamento de competições da CBF para suspender o jogo entre Remo e Brasiliense até que o caso seja julgado. Ao mesmo tempo, estamos encaminhando os documentos para o STJD analisar e posteriormente julgar. Espero que se faça justiça – comenta o presidente riverino.

No entanto, a influência do caso na competição pode ser um pouco maior. Pelo regulamento da Série D, os confrontos das oitavas de final foram definidos por um critério que envolve todos os grupos: o melhor primeiro colocado enfrenta o pior segundo colocado, o segundo melhor primeiro enfrenta o segundo pior segundo, e assim por diante. Desta forma, a entrada do River-PI no lugar do Remo iria mexer com mais de um confronto, o que pode dar margem à paralisação de todo o torneio. Apesar de reafirmar que solicitou o cancelamento apenas do jogo da equipe paraense, Elizeu reconhece esta possibilidade.

– O tribunal normalmente tem essa preocupação. Se você percebe que tem um erro e isso vai prejudicar o todo, eles vão paralisar o todo. Se vai prejudicar pontualmente a questão do jogo, será somente isso. Mas nós não temos nenhuma gerência nisso. Os caminhos que vão ser tomados pelo STJD ou pela CBF é deles, mas nós vamos pedir pelo menos a suspensão desse jogo em especial do Remo com o Brasiliense, que seria, teoricamente, o nosso confronto direto – diz o dirigente.

Leia as respostas de Elizeu Aguiar durante a coletiva

Atividades

– Quando tivemos conhecimento disso, de imediato avisamos o professor Flávio Barros e os atletas, que já estão em campo treinando e fazendo a parte deles. Nós vamos cuidar da parte externa do clube, que é justamente acompanhar isso aqui junto ao tribunal e à CBF.

Agilidade   

– Pelo fato da competição já está se afunilando, eles tem por obrigação de fazer esse julgamento. Como precaução, já estamos pedindo que a partida entre Brasiliense e Remo não seja realizada, esperando o posicionamento do STJD após apreciar a matéria, discutir e, quem sabe, a gente ter o sucesso que acreditamos que podemos ter.

De vítima a denunciante

– Esperamos que seja cumprindo tudo. Volto a repetir que existe uma falha muito forte dentro da CBF que precisa ser corrigida, pelo bem do futebol. Isso aqui é mais um caso. Na semana passada o River-PI era vítima da situação, e hoje o Remo vai ter que explicar a questão de pegar um atleta que já tinha três registros.

Ajuda externa

– Até hoje de manhã estávamos cabisbaixos. Recebemos uma ligação de um diretor amigo, de um clube parceiro nosso, que disponibilizou essa informação. Nós fomos checar e constatamos que existe de fato uma irregularidade no jogador Danilo Lins, que disputou duas partidas pelo Remo. Nas duas partidas eles foram vitoriosos, e sendo assim, se for julgado, pode ter a possibilidade de perder doze pontos. Aí o River-PI entraria na vaga do Remo nessa competição.

Erros passados

– Lógico que não vamos minimizar os erros que aconteceram dentro do próprio River-PI. Nós também sofremos disso, e agora temos a oportunidade de usufruir isso.

CBF

– Queremos mostrar aqui mais uma vez que a CBF não tem o conhecimento e a organização que todo mundo pensa que tem, para fornecer aos clubes a tranquilidade de não estar escorregando como está o Remo agora e talvez muitos clubes estejam na mesma situação. Nós vamos fazer o nosso papel. Como dirigente não podemos obter uma informação, constatar que é possível e cruzarmos os braços. Acreditamos que a justiça seja feita.

Julgamento imparcial

– Com a omissão de não terem denunciado o Remo a gente já fica um tanto assustado. Pode ser por desconhecimento, mas pode ser por favorecimento. Mas vamos trabalhar bem para dar uma resposta o quanto antes sobre esse assunto.

Saiba mais

A diretoria do Remo afirmou que só irá se pronunciar sobre o caso após avaliação do STJD