Sampaio segura empate com Macaé e conquista acesso para a Série B

Por GLOBOESPORTE.COM

Macaé, RJ

Macaé x Sampaio Corrêa - Série C (Foto: Júnior Costa)

O Maranhão terá um representante na Série B do Campeonato Brasileiro do ano que vem. Neste sábado, no Estádio Moacyrzão, em Macaé, o tradicional Sampaio Corrêa se presenteou no ano em que completa 90 anos e garantiu seu acesso de uma forma nem tão sofrida. Levou o gol primeiro, é verdade. Mas fez 1 a 1 logo depois e, a partir daí, jogou com o regulamento debaixo do braço – no jogo de ida, no Castelão, venceu por 5 a 3. O Tubarão maranhense é o primeiro clube a subir para a Segundona.

Pela terceira vez, o Macaé caiu nas quartas de final da Série C do Brasileiro. O Sampaio se juntou ao Criciúma e ao Paysandu na lista de algozes da equipe do Norte Fluminense. O sonho de chegar pela primeira vez na Segunda Divisão foi alimentado pelo gol de William, que abriu o placar. Mas sofrer o empate poucos minutos depois pelos pés do imparável Lucas foi um golpe e tanto.

O Leão do Norte Fluminense, agora encerra a temporada. E mais uma vez tentará tomá-la como exemplo para que, no próximo ano, os mesmos erros não sejam cometidos. Já o Tubarão ainda pode terminar o ano com o título da Série B. O adversário nas semifinais será o vencedor do duelo entre Treze e Vila Nova.

Tensão, emoção e polêmica

O Sampaio Corrêa já estava na Série B. Restava apenas aguentar 90 minutos para permanecer nela por, pelo menos, um ano. O Macaé estava longe. Precisamente dois gols de distância. A lógica fez com que o Alvianil começasse a mil por hora, e o Tubarão, devagar. William ajeitou para Ziquinha com o peito, e o atacante quase fez o gol. Era o primeiro minuto de uma partida tensa.

O nervosismo do Macaé era evidente. Pelo chão, a bola demoraria muito para chegar lá no ataque. Vamos, então, pelo ar. Os comandados do técnico Gerson Andreotti insistiram – e exageraram – em bolas levantadas para a área. É verdade que Gedeil, duas vezes seguidas, por pouco não marcou dessa maneira.

A primeira chegada do Sampaio foi só aos 11, em chute de longe. Depois disso, vieram as reclamações por três lances polêmicos dentro da área. Cléber Carioca cortou um cruzamento rasteiro com o braço, Laerte acertou a canela de Leandro Kível dentro da área, e Lucas caiu depois de uma dividida com a zaga. O árbitro mandou seguir todos os lances.

No último minuto da primeira etapa, Marcelo, do Macaé, decidiu arriscar. Encheu o pé com efeito, que quase enganou o goleiro Rodrigo Ramos. A defesa, estranha, foi com os pés.

Esperança e balde de água fria

O lateral Daniel dominou pela direita, levantou a cabeça e cruzou. William, absoluto, cebeceou com estilo para o fundo das redes de Rodrigo Ramos. O Macaé reacendia as chamas da esperança aos dois minutos do segundo tempo. Faltava um, apenas um para subir à Série A. Impulsionado pela torcida, pelos anos que bateram na trave, isso não parecia ser tão difícil.

Mas o ‘um’, num piscar de olhos, subiu para ‘dois’. Cletinho, do Sampaio, já havia chegado com perigo pela esquerda antes fazer o que quis com a zaga do Macaé e rolar para Lucas na entrada da área. A estrela do garoto brilhou mais uma vez, e o chute fraco foi aceito por luiz henrique: 1 a 1.

Depois disso, foi desespero. O Macaé não consegui colocar a bola no chão. Quando conseguia, eram norton, Marcelo e William quem não colocavam a bola para dentro. Ora por detalhe. Ora falta de capricho. Ora por simples falta de sorte. O Sampaio, por sua vez, abusava nos contra-ataques. Quase todos fatais. Os últimos minutos ainda guardaram um show à parte do goleiro Rodrigo Ramos, que segurou com unhas e dentes o acesso do Tubarão para a Série B do ano que vem.

Saiba mais

Após 12 anos, Sampaio voltará à jogar a Série B do Campeonato Brasileiro