Tarifa social no transporte coletivo de São Luís pode acabar

Tarifa social foi implantada em fevereiro de 2010 pelo ex-prefeito João Castelo e garante desconto de 50% no transporte coletivo aos domingos.

edivaldo-e-canindé

Prefeito Edivaldo e secretário de transporte, Canidé Barros querem acabar com tarifa social.

A tarifa social, que reduz pela metade aos domingos, o valor das tarifas dos ônibus do sistema de transporte coletivo de São Luís poderá ser extinta.

Segundo o secretário municipal de Trânsito e Transporte, Canidé Barros, a prefeitura de São Luís, administrada por Edivaldo Holanda (PTC) já apresentou proposta para extinguir o benefício deixado pelo ex-prefeito João Castelo.

A medida visa recuperar o sucateado sistema de transporte coletivo da capital. Além da extinção da tarifa social, a prefeitura quer combater as fraudes no setor e a retirada dos táxis-lotação.

O combate às fraudes no setor e a retirada dos táxis-lotação são medidas positivas. Já a extinção da tarifa social é uma medida que vai prejudicar os usuários do transporte coletivo.

Em vez do prefeito Edivaldo acabar a tarifa social deveria cumprir as promessas de campanha, tais como:  o bilhete único, GPS nos ônibus, construção de novas avenidas, construção e expansão de ciclovias, modernização da frota de ônibus, implantação do BRTs (Bus Rapid Transit ), entre outras promessas não cumpridas até hoje.

Caso ocorra a extinção da tarifa coletiva, o prefeito deverá enfrentar a fúria dos usuários do transporte coletivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Uma Resposta para Tarifa social no transporte coletivo de São Luís pode acabar

  1. José Carlos disse:

    O prefeito da mudança comunista Edivaldo Holanda Junior quer acabar com a “domingueira” – tarifa social – que assegura a população de São Luís pagar meia passagem no fim de semana.

    Com a “domingueira” famílias de baixa têm mais oportunidades de deslocamento, lazer, esporte e cultura no fim de semana. É com esse benefício que a mudança comunista quer acabar.

    A domingueira permite que trabalhadores e trabalhadoras frequentem as áreas de lazer e cultura com mais mobilidade e de forma mais barata. A incompetência administrativa do prefeito da mudança quer acabar com a domingueira.

    Acabar com a domingueira é, mais uma prova, da incompetência e fracasso das administrações eleitas sob o manto da mudança. São Luís é um exemplo claro de fracasso administrativo do prefeito apoiado pelo comunista.

    Além de não implementar as mudanças tão propaladas, o prefeito de São Luís quer é acabar com benefícios sociais conquistados pela população com muita luta.