Vexame no Mineirão: Brasil perde de 7 a 1 para a Alemanha e está fora da final da Copa

O Globo

Brasil

O goleiro brasileiro Júlio César falha na defesa e Thomas Müller marca o 1º gol da partida

RIO — O sonho do hexacampeonato se transformou na dor de uma derrota humilhante em apenas seis minutos. Na maior vergonha brasileira na história das Copas, o Brasil foi atropelado pela Alemanha no Mineirão: 7 a 1. A seleção treinada por Joachim Löw dominou a partida e deixou evidente a sua superioridade entre os 23 e os 29 minutos do primeiro tempo, quando os quatro gols marcados transformaram o tímido 1 a 0 no estridente placar de 5 a 0. No segundo tempo, Schürlle marcou duas vezes e ampliou o vexame.

— Eu só queria poder dar uma alegria ao meu povo, à minha gente, que passa tanto sofrimento. Infelizmente, não consegui. Desculpe todo mundo, desculpe a todos os brasileiros. Só queria ver meu povo sorrir. Eles (alemães) foram muito melhores, se prepararam melhor. Fizeram quatro gols em seis minutos. É um dia de muita tristeza e muito aprendizado — disse David Luiz, chorando, ainda no gramado.

O goleiro Júlio César tentou encontrar palavaras que o ajudassem a entender o que aconteceu em campo.

— Explicar o inexplicável é muito complicado. Temos que reconhecer o grande futebol alemão, que joga junto há seis anos. Até aqui, estava tudo muito lindo.

MUITOS RECORDES NA PARTIDA

Foi um jogo cercado por recordes e números expressivos. Foi a maior goleada já sofrida pelo Brasil em sua história. Klose fez um gol e chegou aos 16, se isolando no posto de maior artilheiro da história das Copas. Em apenas outras duas ocasiões, uma seleção havia terminado o primeiro tempo derrotada por uma diferença igual ou superior a cinco gols. Pela primeira vez, o Brasil levou seis gols em um jogo de Copa do Mundo. Foi a maior goleada em uma semifinal em toda a história da Copa do Mundo. Nunca, em um Mundial, uma seleção havia marcado quatro gols em um intervalo de apenas seis minutos. A goleada alemã encerrou uma invencibilidade de 42 jogos do Brasil dentro do país.

A seleção de Felipão conseguiu equilibrar a partida por dez minutos. Com Bernard aberto na direita, e Hulk na esquerda, o Brasil marcava na frente e teve a primeira chance logo aos dois minutos, em um chute de Marcelo. Aos 7, no entanto, a Alemanha deu o primeiro sinal: em uma jogada bem tramada no ataque, Khedira bateu de fora da área, mas a bola bateu no companheiro Kroos. Quatro minutos depois, Müller aproveitou um escanteio e, sozinho, abriu o placar. Era só o começo.

GOLEADA IMPIEDOSA

Aos 23 minutos, Fernandinho errou uma antecipação, e a jogada alemã parou em Klose. Júlio César ainda defendeu, mas o atacante marcou no rebote. No minuto seguinte, Kroos bateu de fora da área: 3 a 0. Dois minutos depois, Fernandinho perdeu a bola na entrada da área: outro gol de Kroos. O Brasil não conseguia respirar, jogadores e torcedores estavam atônitos quando veio o quinto, de Khedira.

A Alemanha ainda marcou mais duas vezes no segundo tempo e ampliou o massacre: aos 24 e 34, Schürlle, que entrara no lugar de Klose, escancarou ainda mais a fragilidade brasileira. Aos 44, Oscar marcou, mas não diminuiu em nada a dor brasileira.

BRASIL 1 X 7 ALEMANHA

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data/Horário: 08/07/2014, às 17h

Árbitro: Marco Rodríguez (México)

Cartões amarelos: Dante

Cartão vermelho: Não houve

Gols: Müller (11’/1°T), Klose (23’/1°T), Kroos (24’/1°T e 26’/1°T), Khedira (29’/1°T), Schürlle (24’/2°T e 34’/2°T) e Oscar (44’/2°T)

BRASIL: Júlio César; Maicon, Dante, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo e Fernandinho (Paulinho, intervalo); Bernard, Oscar e Hulk (Ramires, intervalo); Fred (Willian, 341/2°T). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ALEMANHA: Neuer; Lahm, Boateng, Hummels (Mertesacker, intervalo) e Hoewedes; Schweinsteiger e Khedira (Draxler, 31’/°T); Müller, Kroos e Özil; Klose (Schürrle, 13’/2°T) Técnico: Joachim Löw.